País mais atingido por epidemia, Serra Leoa declara primeiro distrito livre de ebola

O distrito de Pujehun, no sudeste de Serra Leoa, é o primeiro no país a ser declarado livre de ebola após 42 dias sem registros de infecções pelo vírus. Serra Leoa é o país mais afetado pelo surto de ebola na África Ocidental: dos cerca de 10 mil casos confirmados até o momento, 77% foram registrados no país.

Segundo o jornal britânico The Guardian, a doença foi primeiro observada em Pujehun em agosto de 2014, e desde então 31 casos foram registrados, com 24 mortes. No entanto, desde 26 de novembro não se registram infecções pelo vírus no distrito, o que significa que foi alcançado o marco de 42 dias sem a doença. Para a OMS (Organização Mundial de Saúde), este é o prazo que determina que uma região está livre de ebola.

Em meio à epidemia que já matou quase 3 mil pessoas, o sucesso em Serra Leoa teria sido alcançado devido às controversas medidas impostas pelas autoridades do distrito, que baniram atividades sociais com grande concentração de pessoas, como a realização de feiras e cultos em igrejas e mesquitas.

A expectativa é que a doença esteja recuando na região de Pujehun. O distrito vizinho de Kailahun, centro da epidemia em meados do ano passado, já conta 27 dias sem novos casos. Na capital Freetown, foram registrados 89 casos de ebola na semana do dia 09 de janeiro, contra 153 na semana anterior e 199 no começo de dezembro.

O último relatório da Missão da ONU para a Emergência de Ebola indicou que há sinais de que a incidência de novos casos esteja diminuindo, mas que a transmissão continua alta na região oeste do país. A opinião de trabalhadores no terreno é que de fato é cedo para comemorar: “Temos que tratar esta realização com cautela e com esperança. Temos um longo caminho e estamos longe do fim da doença em Serra Leoa”, afirmou Nik Hartley, chefe da organização britânica Restless Development, que trabalha na contenção da epidemia no distrito. (Fonte: Opera Mundi)