Em dia de apagão, SP tem recorde de calor no ano, 36,5°C; RJ vai a 37,1°C

Os paulistanos enfrentam o dia mais quente do ano nesta segunda-feira (19), dia em que um apagão elétrico causou transtornos e dificultou a locomoção pela cidade. A capital paulista registrou 36,5°C, a maior temperatura de 2015 e a sexta maior em 72 anos, desde que o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia) iniciou a contagem — a mais alta já registrada na cidade foi 37,8°C, em 17 de outubro de 2014.

O último fim de semana também foi de calor intenso. No sábado a máxima foi de 35,7°C e no dia seguinte fez um calor de 36,2°C, marcando três dias consecutivos de alta de temperatura. Segundo o Somar Meteorologia, a temperatura desta segunda-feira foi a quarta mais alta registrada em um mês de janeiro.

A baixa umidade do ar também preocupa. A cidade tem 25% de umidade, por isso não deve haver chuva forte. “Se chover, choverá em áreas isoladas da cidade”, afirma o meteorologista do Inmet, Marcelo Schneider.

Segundo ele, não é normal uma marca tão alta nesta época do ano. “O bloqueio atmosférico similar ao que atingiu a cidade no ano passado persiste. No início deste ano ele está mais intenso, impedindo que frentes frias cheguem ao Estado”, afirma. O bloqueio atmosférico é provocado por ventos nos altos níveis da atmosfera que não deixam com que as frentes frias vindas do sul do país avancem para outros estados.

O Inmet informa que amanhã a máxima deve ficar entre 34°C e 35°C. “As temperaturas só vão começar a cair a partir de quarta-feira e a taxa de umidade deve aumentar, o que pode ocasionar em fortes chuvas”, explica o meteorologista.

Outros estados
A temperatura no Rio de Janeiro chegou as 37,1°C na tarde desta segunda-feira (19). Apesar de alta, esta não é a maior temperatura registrada no ano na cidade. O recorde é 40,9°C registrado no dia 2 de janeiro.

Segundo a técnica em meteorologia do Somar Meteorologia, Cintia Mendes, as temperaturas estão mais elevadas do que a média dos anos anteriores. “No verão é normal termos temperaturas mais elevadas. Mas nessas últimas semanas, uma massa de ar quente permanece sobre a cidade e há um bloqueio atmosférico que impede que as instabilidades cheguem ao Rio. Elas passam por São Paulo e Belo Horizonte, mas se dissipam antes de chegar no Rio de Janeiro”, afirma.

Em Belo Horizonte, a máxima para esta segunda-feira (19) é 31,9°C. “As temperaturas são menores [na capital mineira] devido à topografia [o relevo da região], mas faz bastante calor. Ainda assim, a temperatura é comum para o verão e não há recorde”, diz. (Fonte: UOL)