Publicações de predação de tartarugas em redes sociais são alvos de autuação do Ibama no Pará

Imagens de tartarugas sendo preparadas em churrasqueiras para consumo, algumas vivas, publicadas no Facebook, tornaram-se alvos de investigação dos agentes ambientais da Superintendência do Ibama no Pará. A espécie Tartaruga-da-Amazônia (Podocnemis expansa), identificada nas publicações, integra a lista da Convenção Internacional de Espécies Ameaçadas (Cites, na sigla em inglês), cuja multa é de R$ 5 mil por animal identificado abatido.

Dois infratores, do estado do Amazonas, foram autuados pelos crimes, os quais, após repercussão negativa, retiraram as publicações da internet. Entretanto, outros internautas já haviam reproduzido as postagens em tom de denúncia, o que possibilitou a identificação dos mesmos.

As multas, uma de R$ 15 mil e outra de R$ 30 mil, foram enviadas, por aviso de recebimento dos Correios, para os endereços dos criminosos. Eles ainda terão que responder, frente ao Ministério Público, pelos crimes ambientais cometidos e por apologia ao crime, uma vez que divulgaram os atos ilegais. A pena pode variar de seis meses a um ano de reclusão, além de multas judiciais e reparação dos danos. (Fonte: Ibama)