Cidade de MS é uma das campeãs em focos de ferrugem asiática em janeiro

As cidades vizinhas de Chapadão do Sul, em Mato Grosso do Sul, e Chapadão do Céu, em Goiás, registraram o maior número de casos de ferrugem asiática da soja no mês de janeiro no país. Em cada município, conforme dados apurados pelo Agrodebate, com base em informações do Consórcio Antiferrugem, foram contabilizados oito focos da doença, o que representa 5,7% do total do mês, que foi de 138 registros em todo o Brasil.

Depois dos dois municípios vizinhos, aparecem na sequência da relação duas cidades goianas, Rio Verde, com sete focos no mês e Montividiu, com cinco. O top cinco é completado por Cascavel, no Paraná, com quatro registros em janeiro.

Em números absolutos, se levando em conta todo o período da safra 2014/2015, a cidade com a maior incidência da doença até o fim de janeiro é Rio Verde (GO), com dez casos. Em seguida vem Chapadão do Sul (MS) e Ponta Grossa (PR), com nove ocorrências, Chapadão do Céu (GO), com oito, Montividiu (GO) e Itaberá (SP), com sete, e Cascavel (PR), com cinco.

Alerta antecipado – Desde o fim de dezembro de 2014, quando foi confirmado o primeiro caso de ferrugem asiática em Chapadão do Sul, a Fundação Chapadão, entidade de pesquisa que fez o diagnóstico, redobrou os alertas para os produtores rurais da região. Em nota divulgada no dia 20 de janeiro, o diretor e pesquisador da entidade, Edson Borges, apontou que os novos casos indicam que a doença está “mais agressiva” e mais “presente que no ano passado”.

A entidade apontou que para controlar a ferrugem os produtores deveriam continuar a fazer o monitoramento constante das lavouras e as aplicações programadas de defensivos. Além disso, recomendou a adoção do manejo antirresistência, que compreende um conjunto de ações definidas pelo Consórcio Antiferrugem.
Entre essas ações estão: usar sempre misturas comerciais formadas por dois ou mais fungicidas com modo de ação distintos, não utilizar mais que duas aplicações do mesmo produto em sequência e utilizar no máximo duas aplicações dos produtos contendo SDHI por cultivo, entre outras.

Estados – De acordo com o Consórcio Antiferrugem já foram diagnósticos nesta temporada 243 focos de ferrugem asiática no país. Os estados com o maior número de casos são: Paraná, com 81, Rio Grande do Sul, com 57, Goiás, com 32, Mato Grosso, com 30 e Mato Grosso do Sul, com 19. (Fonte: G1)