Rússia diz que vai explorar a Estação Espacial com os EUA até 2024

A Rússia prosseguirá com a exploração da Estação Espacial Internacional (ISS) em conjunto com a Nasa até 2024, mas depois criará a própria estação, anunciou nesta quarta-feira (25) a Agência Espacial Federal Russa (Roskosmos).

No plano de atividades até 2030, a Roskosmos prevê a exploração da ISS até 2024, segundo um comunicado da agência. Mas depois a Rússia criará sua própria instalação para ter “acesso garantido ao espaço”, afirma a nota.

A agência informou ainda que, a partir de 2030 o desenvolvimento de um programa com voos tripulados até a Lua. Dezesseis países participam na ISS. Rússia e Estados Unidos são responsáveis pela maior contribuição financeira.

Em janeiro de 2014, a Nasa anunciou a prorrogação do tempo de vida da ISS até 2024, quatro anos a mais que o previsto. A ISS, colocada em órbita em 1998, custou US$ 100 bilhões. A Europa ainda não definiu se prosseguirá com o financiamento da ISS após 2020.

Parceria ameaçada – Em maio do ano passado, o conflito entre Rússia e Ucrânia estremeceu a relação da potência europeia com os Estados Unidos, afetando inclusive parcerias no setor espacial.

Sanções impostas pelo governo Obama fez com que o vice-primeiro ministro russo, Dmitry Rogozin, anunciasse que a Rússia não tinha intenção de estender os trabalhos na ISS para além de 2020. Isso poderia afetar as operações da ISS, já que, segundo Rogozin, o segmento americano da estação não pode operar de forma independente da Rússia.

As espaçonaves russas Soyuz são, desde o fim das operações com as naves espaciais americanas, a única maneira de transportar e repatriar tripulação da ISS. (Fonte: G1)