Sobe para 355 o número de casos de dengue registrados em SC no ano

Em dois dias, o número de casos confirmados de dengue subiu de 305 para 355 em Santa Catarina. Segundo o boletim divulgado nesta quarta-feira (4) pela Diretoria de Vigilância Epidemiológica (Dive), 285 desses casos foram resultado de transmissão dentro do próprio estado, todos no município de Itajaí, no Vale.

O bairro São Vicente é o principal foco de contaminação da cidade, que tem uma taxa de 141 casos novos para cada 100 mil habitantes.

Outros 32 casos registrados em Santa Catarina tiveram transmissão fora do estado, e 38 ainda não tiveram local de transmissão definido.

De acordo com a gerente de Zoonoses da Dive, Suzana Zeccer, o fato de Itajaí ser uma cidade portuária tem influência nos números da dengue. “O porto traz muita carga, muita gente, isso tudo aumenta o risco. Mas há outros fatores, como a prevenção e o comportamento da população”, afirma.

Focos do mosquito – De acordo com a Dive, até o momento foram identificados em Santa Catarina 2.144 focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Os municípios com maiores infestações, além de Itajaí, são Balneário Camboriú e Itapema, também no Vale, Joinville, no Norte, e Chapecó, Pinhalzinho, São Miguel do Oeste, Xanxerê e Xaxim, no Oeste.

Segundo a Vigilância Epidemiológica o atendimento aos pacientes com suspeita de dengue deve ser priorizado nas unidades de saúde, para evitar o surgimento de casos graves. Até o momento, não foi registrada nenhuma morte no Estado pela doença.

Prevenção – Entre as recomendações da Dive para evitar a disseminação do vírus da dengue estão: evitar usar pratos nos vasos de plantas e, caso utilize, colocar areia nas bordas; guardar garrafas e objetos que possam armazenar água sempre com a abertura virada para baixo.

Também é necessário manter as lixeiras tampadas, bem como as caixas d’água. Plantas que acumulam água, como bromélias, devem ser evitadas. O acúmulo de lixo também deve ser evitado, pois pode se tornar foco do mosquito da dengue.

Além disso, é importante tratar a água da piscina com cloro e limpá-la uma vez por semana; rolos devem ficar fechados e desentupidos. Os potes de comida e de água dos animais devem ser lavados com escova, também semanalmente. (Fonte: G1)