Milhares de peixes aparecem mortos nas praias de Montevidéu e arredores

As autoridades do Uruguai reportaram a aparição de milhares de peixes mortos em diferentes pontos litorâneos do Rio da Prata, entre os departamentos de Montevidéu e Canelones, onde nesta sexta-feira (6) foram retiradas 37 toneladas destes animais, pertencentes à espécie lacha (Sardinella aurita).

Os peixes apareceram nas praias da Cidade Antiga, no entorno histórico da capital uruguaia, até Atlântida, um trecho de cerca de 45 quilômetros, e no departamento seguinte, de Canelones.

A causa da mortandade ainda não foi confirmada, no entanto, o diretor da Divisão de Limpeza da Intendência de Montevidéu, Andrés Martirena, informou hoje à Agência Efe que estudos da água estão sendo feitos constantemente para esclarecer a origem do problema.

“Aparentemente não há nada afetado”, disse sobre se tratar de uma questão tóxica, e cogitou que talvez seja um problema de salinidade na água, já que “o peixe de água doce não tolera a água salgada”.

As primeiras análises não registraram toxicidade na água e mostraram que todos os peixes mortos são da mesma espécie.

Uma brigada de 30 pessoas continuará os trabalhos de remoção dos peixes onde o maquinário não é capaz de entrar.

Martirena acrescentou que no departamento de Montevidéu falta ainda a limpeza nos limites com Canelones, na zona leste, que abrange a praia do bairro de Carrasco e o Arroyo Carrasco.

A espécie lacha (Sardinella aurita) é um peixe de tamanho pequeno que raramente passa dos 25 centímetros, que vive perto da superfície até os 350 metros do limite da plataforma continental. (Fonte: Terra)