Agricultores do Piauí estão trocando animais por construção de poços

A chuva que começou a cair há duas semanas veio tarde. Em Oeiras, a 270 km ao Sul de Teresina, os agricultores que plantaram no começo de janeiro perderam tudo. A situação dos agricultores ficou tão grade que alguns estão trocando animais por água.

A água que não tem caído do céu em boa quantidade, sobra no subsolo. Só que pra chegar até ela, é preciso cavar bem fundo. O problema é que, sem produzir, os agricultores não tem dinheiro para investir na perfuração de um poço. A solução é uma prática antiga, que tem se tornado frequente, a troca ou escambo. Na cidade tem muito agricultor trocando o pouco que tem, pelo maior sonho de consumo: o poço tubular.

O agricultor Francisco Sousa tinha 12 cabeças de gado. Sem pasto, os animais estavam magros. Ele negociou 10 bois e fez um empréstimo no banco para levantar R$ 1.600. Agora tem um poço, uma bomba submersa e esperanças renovadas. “Através do poço vou ver se consigo comprar outros animais. O poço resolve todos os problemas, pois assim temos como produzir e ganhar o sustento da família”, disse.

José Rodrigues também usou o mesmo sistema para perfurar um poço e agora vai negociar mais animais para adquirir uma bomba. Assim, não vai mais depender do riacho que está secando nos fundos da propriedade. “Se a gente planta uma coisa e vende é um investimento, pois é melhor do que perder. Do jeito que estava os animais poderiam morrer de fome, mas com o poço tudo está bem diferente”, contou.

Herivelto Amorim É dono de uma perfuradora na cidade, é ele quem recebe os animais em troca dos poços. Veterinário, trata, engorda e valoriza os rebanhos. Até agora construiu cinco poços e recebeu em troca quase setenta animais. “Já fui buscar animais nos braços, pois estavam fracos. eu vou até o criador e avalio os ovinos, caprinos, suínos e bovinos”, afirmou. (Fonte: G1)