Rio Branco/AC é a capital com maior nº de fumantes da região norte, diz pesquisa

Com um percentual de fumantes de 9,7%, Rio Branco é a capital com o maior número de pessoas que consomem cigarro da Região Norte. Os números são da Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel 2014) e foram divulgados pelo Ministério da Saúde na última terça-feira (19).

A pesquisa analisou o período de 2006 a 2014. Em segundo lugar está Boa Vista com 9,3%, seguida de Manaus com 8,3%, Porto Velho com 7,9%, Macapá com 7,5%, Belém com 7,0% e Palmas com 6,7%. Em uma pesquisa anterior da Vigitel, realizada entre 2006 e 2013, Rio Branco havia tido uma redução de 52% a prevalência de tabagismo em adultos.

Ex-fumante, Francisco Medeiros conta que os gastos com o cigarro chegavam a R$ 30 por mês. Ele destaca que para abandonar o hábito teve apoio da esposa Inês Gomes, que também largou o vício, após 30 anos fumando diariamente. “A qualidade de vida é realmente diferente se comparada a de um fumante. Você fica outra pessoa”, diz.

Fuga para problemas pessoais – A Organização Mundial da Saúde (OMS) definiu o dia 31 de maio como o Dia Mundial Sem Tabaco. A data foi criada com o objetivo de alertar a população sobre as doenças e mortes que são relacionadas ao tabagismo. Em Rio Branco, durante toda a semana anterior à data, a Secretaria Municipal de Saúde realizou palestras educativas nas unidades de saúde, panfletagem, medidas de pressão arterial, glicemia capilar, vacinação e abordagem clínica de fumantes.

De acordo com Aline Lopes, coordenadora da área técnica de tabagismo da Secretaria Municipal de Saúde, muitos fumantes alegam que usam o cigarro como uma fuga de problemas pessoais. Ela destaca, que os pacientes dizem se sentir mais calmos ou sofrer menos e ainda não pensarem tanto em seus problemas enquanto fumam.

“Tudo isso é psicológico, pois o tabaco causa o vício. Por isso, nós executamos os grupos de tabagismo nas unidades de saúde, onde são realizadas sessões toda semana. A secretaria dá toda a assistência a essas unidades, com adesivos de nicotina, capacitação para os agentes de saúde e compartilhamento de experiência entre os pacientes, além de atendimento psicológico. A maioria diz que não consegue abandonar o cigarro pois quando estão estressados os cigarro dá tranquilidade”, explica.

Ainda segundo Aline, várias medidas são realizadas para prevenir o tabagismo precoce e auxiliar as pessoas que querem largar o cigarro. A coordenadora explica ainda, que existe uma lei municipal, em vigor desde 2009, que proíbe o fumo em ambientes de uso coletivo, públicos ou privados, como bares, restaurantes e até mesmo áreas de lazer. Além da lei federal antifumo, que prevê multas que vão de R$ 2 mil a R$ 1,5 milhão.

“O cigarro tem mais de 4,7 mil substâncias tóxicas, quando isso é inalado podem acarretar várias doenças. Se for um fumante passivo, a inalação podem causar problemas respiratórios, cardíacos e tosse. A probabilidade dessas pessoas serem hipertensas ou terem um acidente vascular cerebral (AV), é muito maior. Trabalhamos conscientizando os pacientes e também mostrando os prejuízos, pois, um maço custa em média R$ 8. Isso envolve toda a família e esse paciente precisa de acompanhamento”, finalizou. (Fonte: G1)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags