Cantareira sobe pelo 3º dia seguido, mas chuvas dão trégua

O nível do Sistema Cantareira subiu pela terceira vez seguida nesta quarta-feira (4), passando de 16,4% para 16,5%, conforme boletim da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp).

Em outubro, as represas que abastecem 5,3 milhões de consumidores na Grande São Paulo receberam 47,8 mm de chuva, 29,8% do esperado para o mês. O reservatórios, no entanto, seguem operando no chamado “volume morto”.

Os sistemas Alto Tietê, Alto Cotia, Guarapiranga, Rio Grande, Alto Cotia e Rio Claro também tiveram aumento no nível de água.

O índice de 16,5% do Sistema Cantareira considera o cálculo feito com base na divisão do volume armazenado pelo volume útil de água.

Após ação do Ministério Público (MP), aceita pela Justiça, a companhia passou a divulgar outros dois índices para o Sistema Cantareira. O segundo índice leva em consideração a conta do volume armazenado pelo volume total de água do Cantareira e era de 12,8% nesta segunda. O terceiro índice leva em consideração o volume armazenado menos o volume da reserva técnica pelo volume útil e era de -12,8 % na manhã de quarta-feira.

Balanço de inverno – O Cantareira teve o inverno mais chuvoso desde 2009, segundo levantamento do G1 feito com base nos dados divulgados diariamente pela Sabesp. A estação, que começou em 21 de junho, terminou às 5h20 do dia 23 de setembro.

O manancial recebeu 188,9 milímetros de chuva no período, maior marca dos últimos seis anos. A precipitação é 82% maior que a do inverno do ano passado, quando choveram 103,5 mm, mas muito menor que a marca de sete anos atrás: 323,8 mm, em 2009.

Apesar do balanço positivo de chuvas, o sistema seguiu perdendo água durante a estação e ainda está operando no volume morto. (Fonte: G1)