Enchentes afetaram quase 2,5 bilhões de pessoas nos últimos 20 anos

O Fundo de População das Nações Unidas, Unfpa, divulgou esta quinta-feira (3) o relatório “Abrigo da Tempestade”, sobre a situação da população mundial em 2015.

O levantamento mostra que 100 milhões de pessoas precisam de ajuda humanitária, sendo que 26 milhões são mulheres ou garotas adolescentes em idade reprodutiva.

Mortes – Três quintos das mortes maternas ocorrem atualmente em países frágeis devido a conflitos ou desastres e nesse contexto, 507 mulheres morrem por dia pelas complicações da gravidez ou do parto.

O diretor executivo do Unfpa declarou que a saúde das mulheres precisa ter prioridade durante a resposta humanitária. Babatunde Osotimehin disse que “para a mulher grávida ou para a adolescente que sobreviveu à violência sexual, esses serviços são tão vitais quanto água, comida e abrigo”.

Durante crises, diminui o acesso das mulheres e jovens ao planejamento sexual, saúde reprodutiva e com isso aumentam as chances de uma gravidez indesejada ou até mesmo de se adquirir o HIV.

Conflitos – O relatório destaca que com a maior ocorrência de conflitos e de catástrofes no mundo, o Unfpa chegou a responder a crises em 38 países neste ano. Aproximadamente 43% das pessoas pobres vivem em nações onde a situação é frágil.

Segundo o Unfpa, quase 60 milhões de pessoas estão deslocadas devido a conflitos, o maior número desde o fim da 2ª Guerra Mundial. O tempo médio que uma pessoa atualmente permanece como refugiada é 20 anos.

Cerca de 1 bilhão, ou 14% da população mundial, vive em áreas afetadas por conflitos e 78 países se tornaram “menos pacíficos” nos últimos anos.

Enchentes – O estudo do Unfpa também traz números ligados a desastres naturais: nos últimos 20 anos, ocorreram em média 340 desastres por ano. A média de mortes por ano chega a 67,5 mil.

Mais da metade dos desastres naturais ocorre em países ricos, que contabilizam apenas 32% das mortes. Por outro lado, os países de baixa renda enfrentam 44% dos desastres e 68% das mortes.

Enchentes representam 43% de todos os desastres naturais ocorridos entre 1994 e 2014, afetando 2,5 bilhões de pessoas.

Financiamento – Mas segundo o Unfpa, o financiamento recebido não é suficiente para proteger todos os necessitados. No ano passado, as Nações Unidas enfrentaram um déficit recorde de US$ 7,5 bilhões para responder a crises humanitárias.

Neste ano, o Unfpa recebeu menos da metade do financiamento necessário para atender as necessidades essenciais de saúde sexual e reprodutiva de mulheres e adolescentes.

Sobre o financiamento de países emergentes, o relatório do Unfpa cita o Brasil, que tem aumentado suas contribuições. Em 2005, o país havia contribuído com US$ 2,6 milhões e no ano passado, o valor chegou perto de US$ 15 milhões. (Fonte: Rádio ONU)