Cantareira tem primavera com dobro de chuva em relação ao ano passado

O Sistema Cantareira teve o dobro de chuva nesta primavera em relação à mesma estação do ano de 2014, segundo levantamento do G1 feito com base nos dados divulgados diariamente pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). A estação, que começou em 23 de setembro, terminou às 2h48 da terça-feira (22). Foi também a primavera com maior volume de água acumulado desde 2009.

O manancial, que abastece 5,3 milhões de pessoas na Grande São Paulo, recebeu 527,2 milímetros de chuva no período, maior marca dos últimos seis anos. A precipitação é 100% maior que a do inverno do ano passado, quando choveram 236,1 mm, mas muito menor que a marca de sete anos atrás: 755,9 mm, em 2009.

As chuvas na primavera seguiram o ritmo de precipitações demonstrados no inverno. A estação do frio também foi a mais chuvosa desde 2009. O nível do reservatório foi subindo diariamente nos últimos 30 dias, com exceção de um dia, quando ficou igual à marca anterior.

O Cantareira terminou a primavera com um índice de 26,5% de volume armazenado. Já o índice que leva em consideração o volume armazenado menos o volume da reserva técnica pelo volume útil terminou a primavera com -2,7% e segue caindo. Nesta quarta-feira, o índice ficou em -2,1%.

A tendência é que até o final do ano o sistema passe a operar no volume útil e saia do volume morto. A previsão do tempo para os próximos dias, segundo o Inmet, é de calor durante o dia com pancadas de chuva ao final da tarde.

Sabesp quer prorrogar bônus e multa da água – A Sabesp, companhia de água e saneamento paulista, informou nesta quarta-feira (23) que pretende prorrogar a concessão de desconto na conta de água para quem gastar no estado de São Paulo, mas que irá endurecer a meta de economia a partir de 2016. A aplicação de multa a quem ampliar o consumo também deverá ser mantida nos mesmos moldes atuais.

A decisão da companhia ocorre no momento em que os reservatórios começam a se estabilizar, após um ano bastante chuvoso. Como a situação ainda não é confortável, a Sabesp pediu à Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) autorização para renovar a política de bônus e sobretaxa, que seria encerrada em 31 de dezembro. Para entrar em vigor, os novos parâmetros ainda têm de ser aprovados pela agência paulista. Eles passarão a incidir sobre as contas de janeiro de 2016, que devem ser pagas em fevereiro.

Apesar de pedir para continuar a conceder descontos, a Sabesp quer ampliar a exigência de economia de água. A empresa paulista constatou que houve redução no consumo de 22% no período de análise mais recente, de outubro de 2014 a setembro de 2015. Por isso, a empresa reajustou as médias de consumo nessa mesma proporção.

Os níveis de economia para obter o bônus, porém, permanecem os mesmos. Os imóveis que economizarem entre 10% e 15% o consumo de água têm desconto de 10% na conta. Os que diminuírem o gasto entre 15% ou 20% recebem bônus de 20%. Já as residências que economizam 20% ou mais recebem desconto de 30% na conta de água.

As médias de janeiro de 2013 a fevereiro de 2014, usadas para calcular os descontos até este ano deverão ser multiplicadas por 0,78. Sobre o valor obtido é que o abate de água deverá ser calculado. As novas metas serão informadas ao consumidor nas contas de água de janeiro de 2016.

A atualização da meta tornará mais difícil baratear a fatura no fim do mês. “A metodologia vai beneficiar aqueles que economizarem bastante”, comenta o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos, Benedito Braga. A Sabesp admite ainda que alguns consumidores, antes beneficiados, perderão o bônus. “Há uma perspectiva de que vai ficar mais difícil, mas ainda é possível receber o bônus.”

A empresa, no entanto, não vai alterar o período-base para a cobrança de multas de clientes que aumentarem o consumo. O cálculo continuará a ser feito em relação à média de consumo entre fevereiro de 2013 a janeiro de 2014.

As residências que consomem até 20% além da média pagam conta 40% mais cara. Já as que excederem os gastos em mais de 20% recebem incremento de 100% no fim do mês.

Segundo a Sabesp, o reajuste não é feito para conceder menos descontos, mas para readequar a política de bônus ao cenário em que os consumidores já tornaram a economia de água um hábito. “Essa questão do bônus e do ônus não tem características arrecadatória”, afirma Braga. A companhia pretende conceder os benefícios e cobrar multas até dezembro de 2016. (Fonte: G1)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags ,
Ambientebrasil - Notícias located at 511/67 Huynh Van Banh , Ho Chi Minh, VN . Reviewed by 43 customers rated: 4 / 5