Construtora é multada em R$ 19 mil por focos de Aedes aegypti em obra

A GPL Construtora foi multada em R$ 19.166,40 após focos do mosquitos Aedes aegypti terem sido encontrados, pela segunda vez, em uma obra do Setor Marista, bairro nobre de Goiânia. Agentes sanitários da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) recolheram vários exemplares durante vistoria realizada no prédio em construção nesta segunda-feira (4).

“Encontramos diversas situações. Vários copos descartáveis, caixas d’água destampadas, várias situações de larva, de mosquito adulto que acabaram culminando com a questão do auto de infração”, explicou o coordenador de Zoonoses da SMS, Redi Oliveira.

A construtora GPL lamentou o ocorrido e alegou que, depois da primeira visita dos agentes, em dezembro, estava tratando o local com cal e cloro, mas foi informada na manhã de segunda-feira que esse processo não resolve. A direção disse ainda que vai retirar a água do local e evitar que novos casos surjam na construção.

O diretor de Vigilância em Zoonoeses da SMS, Gildo Felipe de Paula, explicou que vários Aedes aegypti já estavam na fase de pupa, que é o último estágio antes de se tornar mosquito. De acordo com o especialista, moradores da região corriam o risco de serem picados.

“Eles procuram o sangue, o humano para ter o sangue. Na obra, tem o pessoal trabalhando, se não tiver o pessoal suficiente para esse tanto de mosquito, os mosquitos vão para as casas”, disse o diretor.

Os agentes sanitários já levantaram outros 700 pontos críticos em Goiânia. Novos fiscais vão ser treinados para atender à demanda.

Aumento da multa – Além da dengue, o Aedes aegypti transmite febre amarela, chikungunya e o zika vírus, suspeito de ligação com casos de microcefalia. Desde o dia 22 de dezembro do ano passado, dobrou o valor da multa para proprietários de imóveis com focos do mosquito.

A multa é calculada em Unidade de Valor Fiscal de Goiânia (UVFG). Com a mudança na legislação sancionada pelo prefeito Paulo Garcia (PT), aumentou a quantia mínima de 18 para 36 UVFGs. Já a multa máxima passou de 180 para 360 UVFGs. O valor atual da unidade é de R$ 53,24. Portanto, em 2016, o valor da infração para imóveis com focos do mosquito vai de R$ 1.916,64 a R$ 19.166,40.

Recorde de registros – O último boletim da Secretaria Estadual de Saúde (SES), que leva em consideração registros feitos até 26 de dezembro de 2015, aponta que 78.740 casos de dengue foram notificados em Goiânia. Além disso, ocorreram 32 mortes somente na capital.

No ano passado, Goiás registrou 187.448 casos da dengue, com 81 óbitos. Esses números fazem com que 2015 seja o recordista de registros da doença no estado e levaram o governo a decretar estado de emergência sanitária.

O decreto autoriza a compra, sem a necessidade de licitação, de medicamentos para tratamento de pacientes, inseticidas, máquinas e veículos necessários para o trabalho de pulverização. Além disso, será permitida a contratação temporária de pessoal para atuar nas ações preventivas de controle do mosquito.

Ainda estão sob investigação a notificação de 122 casos de chikungunya, 5 de febre amarela e 30 de zika vírus. Até o momento, uma pessoa teve a confirmação do zika. A paciente é uma gestante, cuja identidade não foi revelada. (Fonte: G1)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags , ,
Ambientebrasil - Notícias located at 511/67 Huynh Van Banh , Ho Chi Minh, VN . Reviewed by 43 customers rated: 4 / 5