Chuva provoca estragos em várias cidades da região norte do Paraná

A chuva que atinge o norte do Paraná nos últimos dias provocou estragos em várias cidades da região. Os temporais tiveram início no sábado (9) e não pararam até esta terça-feira (12). Segundo último boletim divulgado pela Defesa Civil do Paraná, Tamarana foi a cidade mais prejudicada, com 300 pessoas desalojadas.

Jataizinho – Já em Jataizinho, 70 casas ficaram alagadas após o Ribeirão Jataizinho transbordar. Um ginásio foi preparado para as famílias, mas nenhuma quis deixar as residências por medo de roubos.

Na cidade, o nível do ribeirão está três metros acima do normal. Os bairros Conjunto Novo Rio, Conjunto Antonio José Vieira e Vila Frederico foram os mais atingidos. Um conjunto de chácaras que é cercado pelo Rio Tibagi e que fica localizado na área rural da cidade também foi prejudicado. Ainda segundo a Defesa Civil, cerca de 25 chácaras estão inundadas, com casas totalmente embaixo d’água.

Londrina – Londrina deve decretar estado de emergência na tarde desta terça. A barragem do Lago Igapó não conseguiu suportar tanta água e o lago transbordou. A avenida Almeida Garrer e ruas que ficam ao redor foram interditadas pelo Corpo de Bombeiros. Durante a madrugada, um carro quebrou e ficou coberto pela água, o motorista conseguiu sair e não se feriu.

De acordo com a Prefeitura de Londrina, a zona sul da cidade está isolada devido à queda de barreiras e pontes nas rodovias PR-445 e Mábio Gonçalves Palhano. A coleta de lixo está parada na região, pois uma ponte ficou submersa, impedindo o acesso.

Já o rio que abastece o Distrito de Irerê transbordou e alagou o poço de captação de água. Os moradores da localidade estão recebendo água suja. A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) pede para que não haja consumo.

Devido à interdição das rodovias e também da estrada do Distrito de Maravilha, a Sanepar não consegue interromper o fornecimento de água no distrito porque os os técnicos não conseguem ter acesso ao local.

Já no Distrito de Guaravera, os moradores também estão sem água. As chuvas levaram os equipamentos do poço, como a casa de bomba e o transformador. Não há uma previsão de normalização do sistema porque a localidade está isolada.

De acordo com o Sistema Meteorológico do Paraná, nos últimos 11 dias, choveu 408,8 mm, maior valor mensal para um mês de janeiro desde 1998. O último recorde havia sido em 2005, com 396,8 mm.

Maringá – Em Maringá, estação de tratamento da Sanepar ficou completamente alagada. O Rio Pirapó está oito metros acima do normal. A água invadiu toda a estrutura e alguns motores ficaram embaixo da água. Os equipamentos precisaram ser desligados. Não há previsão de quando o abastecimento será normalizado.

A Defesa Civil de Maringá interditou avenida Parigot de Souza, entre a Avenida Brasil e a Carneiro Leão. A decisão foi tomada depois que uma rachadura apareceu no asfalto da via. Um prédio com uma loja e dois apartamentos também foi desocupado, pois algumas paredes estão com rachaduras. A Defesa Civil vai monitorar a situação do local até que as causas das rachaduras sejam identificadas.

Na PR-317, a ponte do rio Pirapó desabou, interrompendo a passagem. Em todo o estado, vários pontos de rodovias federais e estaduais precisaram ser interditados.

Santo Antônio da Platina
– Em Santo Antônio da Platina, o Corpo de Bombeiros resgatou um casal de idosos e um funcionário de um rancho. Os três ficaram ilhados. A água do rio Jacaré subiu rapidamente e eles não conseguiram sair do local. Os bombeiros também resgataram cachorros e cavalos que ficaram ilhados. Uma caminhonete foi levada pela água.

Marilândia do Sul – A chuva de segunda-feira (11) destruiu a Avenida 3 de outubro, em Marilândia do Sul. Casas do Jardim Menegato ficaram alagadas. Nesta terça-feira, os moradores limpavam as casas e móveis porque muita lama entrou com a enxurrada. Foram mais de 150 pessoas atingidas, conforme a Defesa Civil do Paraná.

Apucarana – Em Apucarana, o lago do Parque da Raposa também transbordou e invadiu a rua. Neste outro ponto o pequeno mirante ficou submerso. Nesta terça-feira, a força da água ainda é grande. O Corpo de Bombeiros está fazendo o levantamento dos estragos na cidade.

Rolândia – Em Rolândia, um homem de 38 anos desapareceu no fim da tarde de segunda-feira após a água arrastar o ônibus que ele dirigia pelo Ribeirão Bandeirantes. O Corpo de Bombeiros retomou as buscas pelo motorista do veículo nesta terça-feira. Segundo os bombeiros, a água subiu depressa e arrastou o ônibus.

Em Rolândia, os 62 mil moradores estão sem água. Segundo a Sanepar, todo o equipamento da estação que abastece a cidade foi levado com a chuva.

Cambé – Em Cambé, parte da Avenida Bento Munhoz da Rocha, que liga os bairros Castelo Branco e Bela Itália, cedeu. A força da água acabou arrancando o asfalto e os locais ficaram sem acesso.

Outra avenida com problemas é a Paraná, que liga os bairros Jardim São Paulo e Jardim Santo Amaro. Uma erosão se abriu às margens da avenida levando, além do asfalto, postes de energia. (Fonte: G1)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags
Ambientebrasil - Notícias located at 511/67 Huynh Van Banh , Ho Chi Minh, VN . Reviewed by 43 customers rated: 4 / 5