França emite nota com orientações sobre casos de zika no Brasil

A Embaixada da França no Brasil emitiu um alerta sobre os casos de zika vírus no Brasil nesta sexta-feira (22). A nota informa que o vírus está se propagando no país e que a evolução da endemia está sendo acomanhada de perto pelas autoridades sanitárias do Brasil e da França.

O comunicado explica quais são os sintomas da infecção e fala sobre os riscos para as mulheres grávidas devido à correlação entre o aumento de casos do vírus e de microcefalia no Brasil. O texto tem ainda orientações para que se procure um serviço de saúde em caso de sintomas relacionados ao zika e recomenda a adoção de medidas de prevenção contra a picada de mosquitos.

EUA aumentam lista de países com alerta para viajantes – Os Centros para Prevenção e Controle de Doenças dos Estados Unidos (EUA) atualizaram, nesta sexta-feira, a lista de regiões com alerta para viajantes por causa do zika vírus. O órgão recomenda que viajantes americanos adotem medidas preventivas especiais ao visitar Barbados, Bolívia, Equador, Ilha de Guadalupe, Ilha de São Martinho, Guiana, Cabo Verde e Samoa.

Brasil, Porto Rico, Colômbia, El Salvador, Guiana Francesa, Guatemala, Haiti, Honduras, Martinica, México, Panamá, Paraguai, Suriname e Venezuela já faziam parte da lista.

Além de recomendar medidas como cobrir a pele com roupas longas, usar repelentes e procurar um serviço de saúde em caso de sintomas, o governo americano indica que mulheres grávidas “considerem adiar viagens a qualquer área onde a transmissão do zika esteja acontecendo”. Caso a viagem seja inadiável, a recomendação é consultar o médico antes da viagem e ficar ainda mais atento às medidas de prevenção contra picadas.

OMS não recomenda adiar gravidez ou evitar viagem – A Organização Mundial da Saúde (OMS) não recomenda nenhuma medida específica sobre adiar gravidez ou restringir viagens para prevenir o contágio do vírus do zika, embora avalie que os governos podem tomar as que considerarem oportunas segundo a agência EFE.

“Nossa posição é a mesma de sempre, cada país pode fazer o que parecer mais conveniente. Nós, por enquanto, não fazemos nenhuma observação”, afirmou Christian Lindmeier, porta-voz da OMS, em entrevista coletiva, ao ser questionado sobre o que achava das recomendações que Colômbia e El Salvador fizeram à suas cidadãs, de adiar a gravidez para evitar as consequências de um eventual contágio.

Por enquanto, a OMS contabiliza a presença do vírus em 20 países, com focos de tamanho considerável em Brasil, Colômbia, El Salvador, Panamá e Cabo Verde.

O porta-voz fez referência aos números nacionais e aos estudos sobre a relação entre o vírus e os casos de microcefalia em recém-nascidos, mas afirmou que não podia dizer nada enquanto não houver dados conclusivos. (Fonte: G1)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags
Ambientebrasil - Notícias located at 511/67 Huynh Van Banh , Ho Chi Minh, VN . Reviewed by 43 customers rated: 4 / 5