Instituto aponta tendência de retomada do desmatamento em MT

Mato Grosso foi o único estado da Amazônia Legal que ampliou sua área desmatada nos últimos cinco meses de 2015, com aumento de 16% no corte raso da floresta. Os dados, gerados por observação de satélites, foram divulgados pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e, após análise pelo Instituto Centro de Vida (ICV), confirmam uma tendência de retomada do desmatamento no estado desde 2013, em contrariedade à redução que tem sido observada nos vizinhos da região amazônica.

A tendência apontada pelo ICV também contraria o compromisso assumido pelo governador Pedro Taques (PSDB), durante a Conferência Mundial do Clima em Paris (COP21), de zerar o desmatamento em Mato Grosso até 2020.

De acordo com o ICV, a análise de imagens de satélite – sempre nos meses de agosto a dezembro – tem evidenciado aceleração no ritmo do desmatamento em Mato Grosso ano a ano. Em 2015 os satélites detectaram 419 quilômetros quadrados de desmatamento (km²), 16% a mais que a área detectada no mesmo período de 2014 (quando foram constatados 362 km²).

Considerando o mesmo período do ano para análise, o estudo do ICV aponta incremento ainda mais significativo no ritmo do desmatamento: na comparação entre 2015 e 2013, a área devastada em Mato Grosso foi ampliada em 670%, afirma o instituto.

O período de agosto a dezembro, caracterizado pela seca na maior parte do estado, é considerado a primeira metade do ano no calendário oficial de monitoramento pelas entidades de controle da floresta amazônica.

As altas verificadas neste período em Mato Grosso revelam, para o ICV, uma retomada da atividade desmatadora no estado que contraria a tendência de redução verificada nos vizinhos da Amazônia Legal – que compreende os estados do Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Noroeste de MT – As imagens de satélites também mostram que a atividade desmatadora em Mato Grosso tem se concentrado na região noroeste do estado, com o município de Colniza (a 1.065 km da capital) na condição de líder do ranking dos municípios que mais devastaram.

Além de atualmente deter a maior área devastada por municípios, Colniza também lidera o movimento que o ICV considera uma retomada robusta do corte raso: entre agosto e dezembro de 2013 o município não havia desmatado nem 10 km² de floresta, número que saltou para quase 70 km² no mesmo período do ano seguinte e para 74 km² entre agosto e dezembro de 2015.

Somente a área desmatada por Colniza representa 19% de toda a área devastada entre agosto e dezembro de 2015 em Mato Grosso. Colniza e outros nove municípios (Aripuanã, Cotriguaçú, Feliz Natal, Juara, Juína, Nova Bandeirantes, Querência, São José do Xingu e União do Sul) foram responsáveis por mais de 60% do desmatamento no período em Mato Grosso. (Fonte: G1)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags
Ambientebrasil - Notícias located at 511/67 Huynh Van Banh , Ho Chi Minh, VN . Reviewed by 43 customers rated: 4 / 5