RJ tem mais de seis mil desalojados e desabrigados após chuva, diz governo

O estado do Rio tem 1.763 pessoas desabrigadas e 4.330 desalojadas em pelo menos 10 municípios atingidos pela chuva desde segunda-feira (29), segundo informações divulgadas pela Secretaria de Estado de Assistência Social e Direitos Humanos, na tarde desta quarta-feira (2).

Duas pessoas morreram em consequência do temporal em dois municípios. Um homem foi arrastado em Saquarema e outro em Silva Jardim, ambos na Região dos Lagos. Inicialmente, foram divulgadas cinco mortes, mas a informação foi corrigida pelas autoridades.

É considerada desalojada uma pessoa que foi obrigada a abandonar temporária ou definitivamente sua casa. O desabrigado é a pessoa que tem a casa afetada por dano ou ameaça de dano e que necessita de abrigo com apoio do governo.

No balanço, o município de Maricá, também na Região dos Lagos, tem o maior número de atingidos: são 500 desabrigados e duas mil famílias desalojadas.

Em Araruama, na mesma região, são 200 famílias desabrigadas. Em Iguaba Grande, que fica próximo de Araruama tem 30 famílias desalojadas. Em Saquarema são 234 famílias no desabrigo. No total, Silva Jardim tem 345 famílias desabrigadas.

Na Região Metropolitana do Rio, a chuva também deixou centenas de famílias sem abrigo. Em Itaboraí, são 124 famílias. Já em São Gonçalo, 150 famílias ficaram sem suas casas e estão abrigadas em duas escolas municipais.

Em Tanguá, dez famílias estão desabrigadas e 300 estão desalojadas. Rio Bonito, cidade vizinha tem cinco famílias desalojadas. No município de Cachoeiras de Macacu, duas mil pessoas ficaram desalojadas e outras 200 estão abrigadas em dois locais da cidade.

A secretaria informa aina que foram enviados 1.000 colchonetes, 550 kits de cama e mesa, 1.000 cobertores e 300 kits de material de limpeza para os municípios de Araruama, Saquarema, Maricá e Silva Jardim.

A iniciativa é realizada em parceria com a Defesa Civil, responsável pelo transporte e entrega dos donativos. Segundo a secretaria, as informações estão sendo atualizadas com as prefeituras.

Em Maricá, o Condomínio Carlos Marighela, em Itaipuaçú, do programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal, ainda estava alagado na manhã desta quarta-feira (2). O conjunto habitacional que foi tomado pela água foi inaugurado há oito meses.

Imagens mostradas pelo RJTV nesta quarta, os moradores tinham que sair de suas casas com barcos porque estavam ilhados. Todas as ruas estavam alagadas, não era possível encontrar uma via que não tivesse sido tomada pela enchente.

As pessoas se arriscavam nas águas, que subiram quase um metro de altura. Quem não conseguiu um barco para sair de casa, tentava se locomover com cavalos. Até uma máquina retroescavadeira foi usada na manhã desta quarta para ajudar a retirar as pessoas de casa. Não era possível identificar o que era rua e o que era calçada.

Na manhã desta quarta, 45 homens da Marinha e Exército chegaram para atuar na limpeza e desobstrução das ruas da região.

Segundo o Governo Federal, a indicação para que o condomínio do Minha Casa, Minha Vida, fosse construído no local, que é uma das regiões mais baixas da cidade e que historicamente sofre com alagamentos, foi da própria prefeitura.

De acordo com o secretário municipal de Defesa Civil, Luiz Carlos Santos, na época da construção foi solicitado ao Instituto Estadual do Ambiente uma autorização para abrir o canal que permitiria o escoamento da água.

Como o governo estadual não respondeu, a prefeitura de Maricá teria resolvido agir por conta própria.

“Como a abertura desse canal é a única maneira que nós temos para resolver o problema dos alagamentos, tendo em vista que essa região é uma região cercada por canais, esses canais desembocam na lagoa. Como não temos a ligação, não foi autorizado pelo Inea fazer a ligação da lagoa com o mar, não conseguimos dar o escoamento dessa água. Desta forma, A prefeitura desde segunda-feira, unilateralmente, iniciou a obra desse canal”, afirmou Santos. O Inea alegou que não recebeu nenhum pedido formal para a dragagem desse canal. (Fonte: G1)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags
Ambientebrasil - Notícias located at 511/67 Huynh Van Banh , Ho Chi Minh, VN . Reviewed by 43 customers rated: 4 / 5