Unicamp associa obesidade e o diabetes com falta de sono e luz solar

Pesquisa da Faculdade de Ciências Médicas da Unicamp associa poucas horas de sono, noites mal dormidas e baixa exposição ao sol com o risco de doenças como a obesidade e o diabetes tipo 2. O estudo feito com 116 pessoas que visitaram os ambulatórios de obesidade e diabetes fez a seguinte constatação: quem dorme menos de seis horas por noite consome até 22% mais calorias, do que aquelas com mais de seis horas de descanso.

“Nós somos programados para repousar durante a noite e ficar ativos durante o dia. E as pessoas que dormem pouco podem ter uma alteração disso, que nos chamamos de ciclo-sono vigília. E podem ocorrer alterações hormonais”, explica a pesquisadora Liane Murari Rocha, autora do levantamento.

Ainda segundo ela, durante a noite nós liberamos o hormônio da fome, da saciedade e as pessoas que dormem pouco podem ter um desarranjo.

Entre as pessoas que dormem pouco foi comprovado ainda o aumento do consumo de sucos industrializados e refrigerantes. Isso eleva o nível de açúcar no organismo e a chance de a pessoa desenvolver o diabetes tipo 2, doença crônica que afeta a forma como o corpo metaboliza a glicose.

A pesquisadora alerta também que estas possibilidades são ainda maiores se as pessoas tomam pouco sol. Oitenta por cento da vitamina D que nosso corpo precisa vem da exposição solar.

“O ideal é que as pessoas tomem sol com moderação. A vitamina D tem um papel importante na obesidade e no diabetes”, completa a pesquisadora.

O segurança Carlos Roberto Lopes desenvolveu diabetes tipo 2 após anos trabalhando de madrugada e com pouca exposição ao sol.

“Chegava em casa de manhã e não conseguia dormir. Só ia dormir mesmo após o almoço. E assim mesmo aquele sono de uma ou duas horas e já passava.”, afirma o vigilante. (Fonte: G1)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags ,