Trump ordena que agência ambiental apague dados sobre aquecimento global

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, determinou na quarta-feira (25) que a Agência de Proteção Ambiental remova de seu site todas as informações referentes ao aquecimento global.

Os funcionários da área de comunicação da agência foram instruídos a apagar a página referente a mudanças climáticas, que contém links para pesquisas científicas sobre o tema, além de dados detalhados sobre emissões de gases e a respeito do impacto da atividade humana no clima.

A determinação do recém-empossado presidente dos EUA é mais uma ação no sentido de reverter as iniciativas seu antecessor Barack Obama nesta questão.

“Anos de trabalho que fizemos sobre a mudança climática irão desaparecer”, afirmou à Reuters um funcionário da agência que pediu para não ser identificado.

Declaradamente cético sobre os efeitos do aquecimento global, Trump nomeou o procurador-geral de Oklahoma Scott Pruitt, que possui 14 processos da Agência de Proteção Ambiental contra ele, como administrador da própria agência.

Novo plano de energia – Em 20 de janeiro, dia em que o republicano Donald Trump tomou posse como o 45º presidente dos EUA, a página dedicada às mudanças climáticas que ficava hospedada no site da Casa Branca foi retirada do ar.

No mesmo dia, foi divulgado o America First Energy Plan (“Plano de Energia América Primeiro”, em tradução livre), novo plano de energia do país, que basicamente elimina o Plano de Ação Climática de Barack Obama, que estabelecia regras para a redução de emissões de gases de efeito estufa do setor de energia.

O Plano de Ação Climática, de 2013, foi complementado, dois anos depois, pelo Plano de Energia Limpa, que estabelecia regras mais concretas para a redução das emissões de gases de efeito estufa no setor de energia.

“O presidente Trump está comprometido a eliminar políticas danosas e desnecessárias como o Plano de Ação Climática das regras norte-americanas. Retirar essas restrições vai ajudar os trabalhadores americanos, aumentando os salários em mais de US$ 30 bilhões ao longo dos próximos sete anos”, diz o texto que explica o novo plano de energia da gestão Trump.

“A administração Trump também está comprometida com a tecnologia de carvão limpo e em restaurar a indústria norte-americana de carvão, que vem sendo ferida por muito tempo”, completa. (Fonte: UOL)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags ,