Saída de Kalil do Butantan ameaça vacina da dengue, diz criador

O pesquisador que criou a fórmula da vacina de combate à dengue que está sendo desenvolvida pelo Instituto Butantan (IB) diz que a demissão de Jorge Kalil da direção do instituto pode “interromper irreversivelmente” os avanços científicos feitos até agora.

Stephen Whitehead, pesquisador do Laboratório de Doenças Infecciosas do NIH (órgão do governo dos EUA de pesquisa biomédica), enviou uma carta para o governador Geraldo Alckmin nesta quinta-feira (23) expressando preocupação com o impacto nas pesquisas da vacina com a saída de Kalil.

O IB possui uma parceria com o NIH para utilizar as cepas inventadas por Whitehead. O Butantan transforma as cepas em vacinas, que podem ser produzidas em escala industrial. Outros países do mundo, como Índia, Vietnã, Taiwan e os próprios EUA, também desenvolvem pesquisas com as mesmas cepas. Mas o instituto brasileiro é o que possui a vacina em estágio mais avançado, já em testes clínicos (feitos com voluntários).

“Preocupa-me que este impulso será irreversivelmente interrompido pela sua retirada [de Kalil], o que teria consequências terríveis para a saúde pública do Estado de São Paulo e do Brasil”, escreveu o pesquisador do NIH na carta direcionada ao governador paulista. No texto, ele afirma o NIH mantém uma produtiva relação com o Butantan e que a chegada de Kalil à direção do instituto, em 2011, permitiu “progressos sem precedentes” no programa de desenvolvimento da vacina.

“A liderança do doutor Kalil supervisionando a infraestrutura e o pessoal necessário para o avanço do projeto continua sendo essencial”, diz Whitehead. “Sua capacidade de solicitar apoio e esforços científicos sólidos, desenvolver a estrutura [de pesquisa] e conseguir parceiros internacionais é indispensável para o sucesso e credibilidade do instituto”, completa.

O IB possui exclusividade no uso das cepas desenvolvidas pelo NIH para a produção da vacina no Brasil. Após os testes clínicos, se a vacina se mostrar eficaz no combate à dengue, o instituto poderá registrar a patente do produto. Um laboratório está sendo construído no IB para produzir a vacina em grande escala.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) confirmou na quarta-feira (22) o afastamento do médico Jorge Kalil do cargo de diretor do IB, vinculado ao governo do Estado. Elogiando Kalil como um “grande cientista”, Alckmin o convidou para permanecer no instituto como pesquisador. O pesquisador ainda não confirmou se aceitará o convite.

A queda de Kalil ocorreu após uma crise no IB, que teve início com uma série de acusações feitas pelo ex-presidente da Fundação Butantan, mantenedora do instituto. Montoro Filho deixou o cargo no dia 8. Na sequência, em entrevistas ao jornal “Folha de S.Paulo” e à rede Globo, ele fez uma série de denúncias contra Kalil, acusando-o de má gestão e irregularidades à frente do instituto.

Desde então, pesquisadores e funcionários do Butantan começaram a se manifestar defendendo a permanência de Kalil à frente do instituto. Eles criaram um site e lançaram um abaixo assinado em defesa do médico.

De acordo com reportagem da Folha de S. Paulo, a demissão de Kalil pode estar relacionada a uma antiga mágoa cultivada entre ele e o secretário da Saúde do Estado de São Paulo, David Uip. (Fonte: UOL)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags ,