Ação da ONU Meio Ambiente estimula visitas ao Parque Nacional da Tijuca

A ONU Meio Ambiente, agência das Nações Unidas que promove a conservação do meio ambiente e o desenvolvimento sustentável, encerrou no domingo (11) as comemorações da Semana Mundial do Meio Ambiente com ação para estimular a visitação ao Parque Nacional da Tijuca, no Rio de Janeiro.

Em parceria com a Airbnb, rede internacional de hospedagens online, e o Grupo Cataratas, que integra o Consórcio Paineiras Corcovado, o evento teve por objetivo melhorar o atendimento aos visitantes no Parque Nacional da Tijuca e a preservação das belezas naturais em área de cerca de 20.469 m² entre o antigo Hotel das Paineiras e o Corcovado.

Uma oficina no Centro de Visitantes Paineiras deu orientações aos anfitriões do Airbnb (pessoas que alugam quartos ou todo o seu imóvel para turistas pela internet) sobre roteiros de turismo sustentável na capital fluminense, mostrando também como diminuir o impacto ambiental do turismo.

Comunicadora da ONU Meio Ambiente, Flora Pereira informou que o Dia Mundial do Meio Ambiente deste ano tem um tema de urgência para discussão com a sociedade, que é a conexão das pessoas com a natureza. “Pode parecer pouca coisa, mas, se pararmos para pensar, é enorme. Enquanto não nos conectarmos, ficarmos só nos celulares no meio de arranha-céus e escritórios, perdendo esse contato direto com a natureza, do tipo pisar na grama ou na areia, dar um mergulho no mar, visitar parques nacionais, não vamos entender quanto a natureza nos pertence e quanto pertencemos a ela”.

Flora Pereira esclareceu que um dos principais atores disso é o turismo sustentável. Segundo ela, a visita de turistas não pode ser prejudicial à natureza. “Que ela fomente essa conexão e promova a conservação da natureza”. Acrescentou que a parceria com o Airbnb e o Grupo Cataratas é uma oportunidade de juntar as três forças para discutir que, como promotores do turismo, anfitriões são tão responsáveis quanto turistas.

Para o presidente do Grupo Cataratas, Bruno Marques, a ideia é desenvolver sempre esse tipo de atividade ligada à natureza e aos animais. “A gente quer sempre convidar o visitante, de modo que ele entendar como funciona um parque, como são tratados e como vivem os animais. E passam a ser defensores”. O lema do grupo é conhecer para preservar, informou.

Anfitriões – Os anfitriões do Airbnb receberam um guia com 27 roteiros de turismo sustentável para oferecerem a seus hóspedes. Flora Pereira disse que o guia busca desenvolver o ecoturismo, o turismo de aventura, além do desenvolvimento social, econômico e cultural. “É o turismo que traz uma força de diferentes elos para o lugar que está sendo visitado”.

Eles também participaram da limpeza da Trilha Carioca e plantio de mudas nativas na nascente do Rio Carioca, local onde moravam índios tupinambás e que deu nome aos moradores do município do Rio de Janeiro. O evento contou com apoio do Parque Nacional da Tijuca. A trilha foi refeita há pouco tempo e está sendo sinalizada.

O ator e produtor cultural Cadu Lopes tem uma hospedaria em Santa Teresa, região central do Rio de Janeiro, e é um defensor da natureza e do turismo sustentável. De acordo com Cadu, alguns turistas têm essa noção, mas há necessidade de solidificá-la, “para que eles tenham a conscientização de que não podem sujar, mas preservar”. Ressaltou a experiência de plantar mudas nativas, no caso de cedro, na nascente do Rio Carioca.

Também anfitrião do Airnbn, a designer Denise Vilar é também anfitrião do Airbnb. Denise é carioca, mas foi a primeira vez em sua vida que ela fez uma trilha no Parque Nacional da Tijuca. Para ela, a experiência foi algo muito especial. “É uma emoção poder plantar uma árvore dentro de uma floresta maravilhosa como esta, que é o pulmão do Rio de Janeiro. A gente contribuir com isso é fantástico”.

Voluntários – Analista ambiental e coordenador do Setor de Trilhas e Esportes do Parque Nacional da Tijuca, João Felipe Martins aproveitou para abordar a questão do voluntariado, que, segundo ele, sofreu redução nos primeiros meses do ano por causa do “alarde” vinculado à questão da febre amarela. “Isso deu uma afugentada nas pessoas.”

Martins informou que, embora não tenha nenhuma comprovação de problema relacionando a floresta à doença, o parque perdeu entre 30% e 40% de voluntários em comparação ao mesmo período do ano passado. Por isso, ele tem procurado intensificar a divulgação para que novos voluntários apareçam.

O Programa de Voluntariado do Parque Nacional da Tijuca tem atividades variadas todos os dias da semana. Qualquer pessoa, brasileira ou estrangeira, com mais de 18 anos ou menor autorizado por responsável, pode ser voluntário. São cinco linhas de ação: mutirões mensais, atividades semanais, adoção de trilhas, voluntariado de longa duração e monitoramento da visitação e orientação dos visitantes.

No próximo dia 24, o Parque Nacional da Tijuca promoverá um mutirão no setor floresta, relacionado a abelhas nativas. “A gente vai reformar a exposição de abelhas. Será um mutirão dos voluntários do parque”. (Fonte: Agência Brasil)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags ,
Ambientebrasil - Notícias located at 511/67 Huynh Van Banh , Ho Chi Minh, VN . Reviewed by 43 customers rated: 4 / 5