Chuvas no centro do país devem demorar para chegar, prevê MCTIC

As chuvas na área central do Brasil, que normalmente começam na segunda quinzena de setembro, devem demorar mais para chegar neste ano. Além disso, a tendência é que o volume de precipitação em setembro, outubro e novembro ocorra abaixo da média histórica. A previsão é do Grupo de Trabalho em Previsão Climática Sazonal do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Segundo o coordenador-geral de Operações e Modelagem do Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (Cemaden), Marcelo Seluchi, esse quadro é causado pela falta de umidade no ar aliada ao baixo volume de chuvas na região amazônica nos últimos meses, responsável por criar os sistemas de precipitação que chegam a essa parte do país.

Por causa da falta de umidade, a primeira quinzena de setembro deve registrar temperaturas altas, quadro que deve se estender até que ocorram as primeiras chuvas. Na última semana, a Defesa Civil do Distrito Federal declarou estado de emergência, por causa do baixo índice de umidade relativa do ar, que chegou a 11%.

O Grupo de Trabalho em Previsão Climática Sazonal do MCTIC é formado por especialistas do Centro Nacional de Monitoramento e Alerta de Desastres Naturais (Cemaden), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa). Também estão representados órgãos ligados à área de climatologia, hidrologia e desastres naturais, como a Agência Nacional de Águas (ANA), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e a Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme). (Fonte: Agência Brasil)

Esta entrada foi escrita emClipping e tags ,