Bando de araçaris-castanhos é clicado no Pantanal por servidora pública

A observação de aves tomou tamanha proporção a ponto de provocar uma mudança radical na vida Cidolar Pereira. “Me mudei para uma chácara na beira da Mata Atlântica para poder estar diariamente perto da natureza”.

Servidora do Tribunal de Justiça do estado do Paraná, todos os dias Cidolar reserva um tempo para registrar os visitantes do quintal de casa. São aves como saíra-sete-cores, saí-azul, gaturamo-verdadeiro e tucano-de-bico-verde, que aparecem com frequência.

Desde 2015, quando começou a se interessar pelas aves, Cidolar clicou 215 espécies. A primeira foi o canário-da-terra. “Comecei a registrar por acaso e se tornou uma paixão.”

Nesses dois anos, a servidora pública coleciona momentos marcantes. A primeira vez que foi ao Pantanal, deparou-se com um grupo de araçaris-castanhos bebendo água em um tronco de palmeira.

O tiê-sangue, o saíra-sapucaia e o benedito-de-testa-amarela também se mostram nos retratos. Cidolar se diz muito contente com os registros que faz. “Mesmo se tratando de espécies mais comuns, sei que fui contemplada com um momento único”.

O grande desejo é fotografar a araponga, ave que já identificou nas redondezas pelo canto. Para ela, o registro e compartilhamento das imagens é uma forma de promover a consciência ecológica.

Fonte: G1

Esta entrada foi escrita emClipping e tags , ,