Wokshop de micologia no Inpa discutirá temas importantes para a pesquisa com fungos na Amazônia

Com a finalidade de promover o ensino e a capacitação, por meio de palestras e minicursos sobre os assuntos mais atuais em micologia (estudo dos fungos), o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA/MCTIC) realiza na próxima segunda e terça-feira (27 e 28), o III Workshop do Laboratório de Micologia do Inpa. O evento acontecerá pela manhã, no Auditório da Ciência, no Bosque da Ciência, com o ciclo de palestras e mesa-redonda e, à tarde, com os minicursos, no prédio da Microbiologia Médica (Campos I, sede do Inpa). As inscrições para o workshop continuam abertas.

De acordo com o organizador do workshop, o pesquisador João Vicente Braga de Souza, a programação foi pensada também em promover a troca e a difusão do conhecimento científico entre os participantes do evento nos temas da micologia, além de buscar abranger as áreas de conhecimento da micologia médica, ambiental e industrial.

Os fungos são seres vivos encontrados em todo mundo e sempre estiveram relacionados com o homem para coisas boas, como a produção alimentos e bebidas, ou ruins por causar algumas doenças, as micoses. A rica diversidade amazônica também está refletida nos fungos, tornando-a um perfeito alvo de estudos biotecnológicos e médicos que tendem a aumentar a qualidade de vida das pessoas.

As inscrições continuam abertas e o evento é destinado a graduandos e pós-graduandos das áreas de ciências biológicas e médicas, professores do ensino superior e demais profissionais interessados na área da micologia. Aos participantes haverá entrega de certificados.

“Essa é uma chance para graduandos da nossa cidade manter contato com diferentes pesquisadores para a troca de conhecimentos em micologia”, destaca o pesquisador João Vicente.

Programação

As palestras do primeiro dia do workshop, na segunda-feira (27), tratarão sobre a Micologia Industrial aplicadas à biotecnologia e bioprocessos. Serão discutidas as pesquisas de produção de substâncias de interesse a partir dos fungos como corantes naturais, antimicrobianos, enzimas, combustíveis e biossurfactantes.

Um dos palestrantes será o professor da Universidade de São Paulo (USP), o biotecnologista João Paulo Silva. O pesquisador vem desenvolvendo metodologias para a conversão de biomassa (resíduos filtrados de fungos) em combustíveis. Além de Silva, outros cinco palestrantes participarão do workshop e de uma mesa-redonda que discutirá os “Temas prioritários para pesquisa com fungos de interesse industrial da Amazônia”.

No dia seguinte (terça-feira), será o dia da Micologia Médica. Alguns dos mais importantes micologistas médicos da cidade estarão presentes, além do pesquisador da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), o dr. Anderson Messias Rodrigues. O pesquisador realiza estudos com a utilização da tecnologia do DNA para diagnosticar infecções fúngicas graves e dará sua contribuição para a discussão de uma mesa-redonda.

Minicursos

Com 4 horas de duração, estão programados três minicursos teórico-prático com 20 vagas para cada. São eles: minicurso sobre antifungigrama, que ensinará a detectar a resistência de fungos patogênicos frente aos antifúngicos; minicurso sobre coleta biológica para pesquisa de micoses superficiais e cutâneas. Este curso ensinará a fazer coleta de material biológico de pacientes acometidos com micoses superficiais (pano branco) e cutâneas (impinge).

Nesta edição, também será oferecido o minicurso de bases para preparação de cerveja artesanal, que ensinará técnicas a fazer uma cerveja do estilo American Pale Ale. Ale é um tipo de cerveja produzida a partir de cevada maltada usando uma levedura que trabalha melhor em temperaturas mais elevadas. Os interessados ainda podem se inscrever.

Fonte: Inpa

Esta entrada foi escrita emClipping e tags , , , ,