Embaixador e membros da comitiva Belga visitam o Inpa para conhecer ações do Instituto

A pesquisa é muito valorizada na Bélgica e a capacidade técnica do Inpa é incontestável. A afirmação foi feita pelo Cônsul Honorário da Bélgica em Manaus, Clifford Nelson Oliveira, em visita ao Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa/MCTIC), na tarde desta terça-feira (28).  O objetivo da visita foi conhecer o trabalho desenvolvido pelo Instituto.

Formada pelo embaixador da Bélgica, Dirk Loncke; pelo Ministro Conselheiro, Hendrik Roggen; pela Conselheira Econômica e Comercial, Maria Laura Maron-Pot, e pelos escritórios Adidos Comerciais Científicos e Econômicos, Julie Dumont, Yves Lapere e Stefano Missir Di Lusignano; a comitiva belga foi recebida pelo diretor do Inpa, Luiz Renato de França, juntamente com o coordenador de Cooperação e Intercâmbio, Bazilio Vianez.

Também estiveram presentes os pesquisadores Sérgio Fonseca Guimarães, Chefe de Gabinete do Inpa; Rita Mesquita, coordenadora de Extensão; Beatriz Ronchi Teles, coordenadora de Capacitação; além dos pesquisadores Ceci Sales-Campos, Antônia Franco, Lúcia Rapp, Laurindo Campos, Rogério Gribel e Bruce Nelson. Na ocasião, o diretor foi presenteado com um livro dado pelo embaixador Dirk Loncke.

“A Bélgica tem muito interesse nas relações com o Amazonas; a importância que é dada pelo país à nossa região é significante”, diz o Cônsul da Bélgica em Manaus ao acrescentar que a Comitiva realizará até quinta-feira (30) visitas às autoridades locais do Estado, Prefeitura de Manaus, Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa). A Comitiva ainda passará ainda por fábricas do Distrito que têm relações com a Bélgica e pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Sobre possíveis parcerias do Governo Belga com o Inpa, o Cônsul destaca ser provável. “Eu acredito que sim. A capacidade técnica do Inpa é incontestável”, afirma Oliveira. “O Instituto vem realizando um bom trabalho que eu acredito que possa dar frutos. No geral, eu acredito que vamos ter grandes parcerias entre a Bélgica e o Amazonas”, destaca.

Para o diretor do Inpa, Luiz Renato de França, a visita de prospecção para conhecer o trabalho do Instituto e a possibilidade de colaborações com o Consórcio Europeu, é algo muito produtivo. “É uma excelente oportunidade de mostrar o Inpa para outros países. E, nós aqui no Inpa, nunca tivemos uma colaboração formal com a Bélgica, pelo menos não nos últimos anos”, diz.Atualmente o Inpa possui parcerias com alguns países como Alemanha, Japão, Reino Unido e Estados Unidos. “ Então, quem sabe, a Bélgica não entra para esse time”, anseia o diretor.

Fonte: Inpa

Esta entrada foi escrita emClipping e tags , ,