Sustentabilidade na indústria: é possível manter uma produção aliada a atitudes sustentáveis

Sustentabilidade e preservação ambiental são temas cada vez mais discutidos no dia a dia. Mais e mais pessoas estão percebendo que, ainda que individualmente, mudar hábitos e ações com o intuito de reduzir o impacto ambiental e preservar recursos naturais é uma reação necessária. Mas quando a pauta sustentável chega à mesa de líderes de empresas e indústrias, os impactos podem tomar proporções ainda maiores e fazer a diferença tanto local quanto globalmente.

Para garantir que tenhamos acesso a todos os tipos de bens de consumo, as indústrias e empresas precisam usar recursos que são potencialmente poluentes. A instalação de uma fábrica em um espaço que antes era apenas campo, por exemplo, traz resultados contrastantes: ao mesmo tempo em que causa impactos ambientais, também gera empregos e contribui para o desenvolvimento econômico. Esse efeito é necessário para que possamos continuar usufruindo de todos os produtos que fazem parte do nosso dia a dia: dos alimentos, à água até eletrônicos e roupas, praticamente tudo passa por um processo de industrialização.

Mas se por um lado as grandes empresas utilizam recursos naturais em grande escala para garantir o funcionamento de cada etapa da produção, por outro, quando elas decidem ajustar seus processos industriais visando à sustentabilidade o resultado também é em proporções maiores. Medidas tomadas no dia a dia da indústria a tornam mais sustentável. E cada vez mais empresas estão percebendo isso e implementando ações que diminuem seu impacto ambiental.

Consciência ambiental na indústria é possível

Empresas ambientalmente conscientes são as que se preocupam com o efeito que causam no meio em que estão instaladas e que tentam reverter alguns cenários por meio de melhoria de processos industriais. E a sustentabilidade pode, sim, ser empregada em diversos pontos da rotina de qualquer indústria – desde que haja interesse em fazer o bem e devolver à natureza o que se tira dela.

Um exemplo de que esse comportamento é possível está na Döhler, empresa têxtil catarinense instalada em Joinville que encontrou formas de se tornar mais sustentável e diminuir sua pegada ambiental. As medidas, além de compensarem o potencial poluidor da empresa, também ajudam a diminuir custos.

– A nossa atividade necessita intensivamente de capital, mão de obra e energia. É uma atividade potencialmente poluidora, então sem sustentabilidade não é possível mantê-la – afirma o presidente da Dohler, José Mário Gomes Ribeiro.

Reconhecer os impactos ambientais da indústria é o primeiro passo para descobrir formas de revertê-los ou amenizá-los. A Döhler possui sua própria estação de efluentes, o que minimiza os riscos de poluição já que os despejos passam pelo tratamento correto. A água usada nos processos da fábrica passa por um mecanismo moderno de tratamento de efluentes antes de voltar limpa à natureza.

– Eu reutilizo 30% de toda água que capto em procedimentos internos. Depois, trato todo o efluente antes de despejá-lo nas valas de drenagem que passam perto da empresa. Os efluentes, depois de tratados, atendem toda a legislação pertinente – comenta José Mário.

Além do tratamento correto da água e dos resíduos, outros procedimentos da fábrica recebem o destino correto. O algodão recebido pela fábrica é inteiramente tratado e as impurezas – restos de fios que a empresa não utiliza nas suas linhas de produção – servem de matéria prima para outras indústrias, para as quais são vendidas.

A matriz energética da Döhler também é sustentável: 75% dela é composta por gás natural que é um insumo considerado limpo. Os outros 25% ficam por conta da energia térmica proveniente da biomassa e de resíduos gerados na empresa, como limpeza da tecelagem e fiação.

A sustentabilidade está no DNA da Döhler e seus esforços se refletem nos diversos prêmios e reconhecimentos que a empresa já recebeu.

– A sustentabilidade é uma prática necessária em nossa atividade, somente assim viabilizamos aquilo que produzimos. Praticamos a sustentabilidade a mais de trinta anos e cada vez mais – finaliza José Mario.

Fonte: Döhler

Esta entrada foi escrita emClipping e tags , ,