Meio Ambiente conclui Projeto 3E

O Ministério do Meio Ambiente concluiu, nesta sexta-feira (15/12), o Projeto de Eficiência Energética em Edificações (3E), com a realização de seminário de avaliação. Realizado em Brasília, o evento contou também com a cerimônia de entrega de prêmio a projetos de arquitetura bioclimática escolhidos em concurso nacional. Financiado com recursos do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF), o 3E tornou-se referência na área tanto no governo federal, quanto para a iniciativa privada.

“O projeto foi concluído com bastante sucesso, com execução plena e já é referência dentro do PNUD (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento)”, comemora a coordenadora de Ações em Mudança do Clima do MMA, Alexandra Maciel. O PNUD é responsável pela implementação do projeto coordenado pelo Ministério.

A vitrine do 3E é o próprio bloco B da Esplanada, onde funciona o Ministério do Meio Ambiente. O edifício recebeu, do Inmetro, etiqueta nível A para os projetos em iluminação, envoltória e ar condicionado. As obras ainda precisam ser executadas para a certificação final.

Em cinco anos de trabalho, o 3E criou e consolidou a área de eficiência energética no Ministério. Desenvolveu ferramentas reconhecidas, disponíveis no site do MMA, e já conta com 12 mil acessos mensais. A expectativa é de que o governo possa usar o resultado do trabalho tanto na melhoria da eficiência dos edifícios públicos, quanto em futuros projetos. De acordo com as regras do governo federal, os prédios ocupados por órgãos públicos devem ter o seu nível de eficiência energética identificado por etiqueta.

A eficiência energética pode contribuir para a redução de 14 gigatoneladas de CO2 nos próximos anos. O encerramento do Projeto não significa que o MMA deixará de atuar na área. Como explica Alexandra, “o ministério continuará atuando, pois a eficiência energética ganha um papel cada vez mais relevante no cumprimento das metas brasileiras no Acordo de Paris”.

De acordo com Alexandra Maciel, os ministérios de Minas e Energia e do Planejamento têm demonstrado empenho em que o governo brasileiro “se aproprie dos conhecimentos gerados, tanto no planejamento quanto na gestão de seus edifícios”

PREMIAÇÃO

Os projetos de arquitetura bioclimática premiados utilizaram a plataforma Projeteee, desenvolvida pelo Projeto 3E. São eles:

CATEGORIA PROFISSIONAL

1° Lugar:
Projeto Habitoart: Marília Ramalho Fontenelle e Geórgia Garcia Jereissati (RJ)

Menção Honrosa
Arquitetura Bioclimática: Olavo Henrique de Almeida Canarim (SP)

CATEGORIA ESTUDANTE

1° Lugar
Casas Ecompacta e Hidroconforto (Universidade Federal de Santa Catarina)
Ana Carolina Zago; Izabela Hafele Gularte; Tyna Stefanie dos Santos Costa; Géssica Schmitz Forte; Priscila Souza. Orientador: Carlos Eduardo Verzola Vaz.

2° Lugar
Projeto: Prêmio Potegeteee de arquitetura bioclimática (Universidade do Sul de Santa Catarina)
Marina Straginski Crmona; Alice Gonçalves dos Santos. Orientadora: Bianca Milani de Quadros.

Menções Honrosas:
ProjetoEEE. Univali
Artur Bernardoni; Mariah Vieira Magra; Jeferson Luiz Branco; Guilherme Kretzer (Unisul)
Orientador: Eduardo Baptista Lopes.

Projeto: ProjetEEE Univali; e
Casa Bioclee: Soluções Bioclimáticas para moradias
Júlia de Campos Pinto e Karina Loch (Universidade do Vale do Itajaí – SC)
Orientadora: Carolina Rocha Carvalho.

Fonte: MMA

Esta entrada foi escrita emClipping e tags , ,