Após fortes chuvas em Macapá, Defesa Civil reforça plantões para minimizar riscos

Após as fortes chuvas do fim de semana em Macapá, a Defesa Civil faz junto com secretarias do Município um novo planejamento para minimizar os riscos das áreas mais atingidas pelos danos causados no inverno. Além do mapeamento dessas regiões, o órgão de defesa vai ter um reforço nos plantões 24 horas.

As novas medidas foram decididas nesta terça-feira (9), na primeira fase de planejamento, feito a partir de uma ampla avaliação dos pontos de alagamentos previamente identificados pelas equipes. Participaram do encontro as secretarias das subprefeituras, Obras (Semob), Manutenção Urbanística (Semur) e da Assistência Social e do Trabalho (Semast).

Na área urbana da capital, será feito o monitoramento de residências e escoamento de pontos críticos, que necessitem de intervenções do Município, inclusive de evacuação dessas áreas em casos de urgência ou riscos iminentes.

De acordo com o comandante da Defesa Civil, inspetor Rui Secco, o planejamento foi necessário ser feito devido aos últimos dias de constantes chuvas na capitalcom queda de árvores famílias desalojadas.

O trabalho está sendo antecipado para que as equipes conheçam as particularidades de cada ponto crítico mapeado.

“Precisamos antecipar o planejamento e verificar quais ações serão tomadas em situações de risco, alagamento, trânsito e evacuação de áreas, caso necessário”, disse Secco.

A segunda fase do planejamento vai ser feito no decorrer dos dias, ou de acordo com a necessidade de mais instituições de segurança e secretarias.

Bailique

Outra prioridade destacada na reunião foi sobre o assistencialismo ao distrito do Bailique, a 180 quilômetros da capital. A região, um arquipélago formado por 8 ilhas e 50 comunidades, sofre principalmente no período de inverno com o fenômeno “Terras Caídas”.

Nos últimos 3 anos, mais de 200 casas de ribeirinhos, que são construídas às margens dos rios, foram destruídas, sendo que 15 residências foram consumidas pelas forças das águas somente no início da estação, em novembro.

Uma equipe se deslocará até o local para fazer um relatório de monitoramento. Além disso, a Defesa Civil também acionou o Governo Federal em 2017 para auxiliar famílias que ficaram desalojadas e tiveram casas destruídas. O Município ainda aguarda a liberação do recurso de pouco mais de R$ 1,5 milhão do Ministério da Integração Nacional, referente à situação de emergência decretada pela prefeitura, em fevereiro do ano passado.

A partir desta terça-feira, a Defesa Civil estará mais com colaboradores de plantão para atender casos de emergências. Eles podem ser acionados 24 horas pelo número (96) 98101-1153.

Fonte: G1

Esta entrada foi escrita emClipping e tags , ,