Parlamento Europeu aprova medidas a favor do meio ambiente

A Comissão Europeia quer que todas as embalagens produzidas para o mercado europeu provenham de material reciclável, até 2030.

Uma medida que procura, sobretudo, diminuir a dependência dos plásticos e contribuir para uma economia mais sustentável.

O Parlamento Europeu vê a medida com bons olhos. A ideia é apostar na inovação e sustentabilidade, algo fundamental para o Grupo Parlamentar Europeu dos Verdes/ Aliança Livre da Europa.

Mas, como explica o eurodeputado croata dos Verdes Davor Skrlec à Euronews, é importante manter a cidadania informada de todo o processo, também enquanto consumidores:

“É necessário para que os cidadãos sejam informados. Especialmente os consumidores. Até porque já existem várias opções nos supermercados.”

“Por isso, se aumentarmos os preços dos produtos com plástico e baixarmos os preços dos produtos com material reciclado, as pessoas vão optar plo mais barato,” conclui.

O novo imposto sobre os plásticos pode ser, além disso, utilizado para compensar as perdas orçamentais provocadas pla saída do Reino UNido da União Europeia, processo conhecido como Brexit.

Medidas sobre as energias renováveis

Por outro lado, o Parlamento Europeu aprovou um conjunto de medidas para incentivar energias renovaveis e amigas do ambiente.

A Euronews falou com o eurodeputado espanhol José Blanco, do Grupo Parlamentar dos Sociais e Democratas.

Blanco diz que o pacote de medidas é importante, ainda que seja necessário acompanhar certas regiões europeias, ainda dependentes de uma economia baseada no carbono:

“Diminuir a dependência do carbono nas nossas economias não é uma opção. É uma obrigação. Mas temos também a obrigação de encontrar respostas e alternativas para as regiões onde o uso do carvão é ainda algo muito important”.

As mudanças legislativas europeias deverão ser adotadas pelos Estados membros de forma progressiva.

Mais plástico do que peixe nos oceanos

Todos os anos, os europeus produzem 25 milhões de toneladas de resíduos de plástico e menos de 30% são reciclados.

Uma situação que a União Europeia considera inaceitável e que vai mudar.

Em entrevista ao jornal The Guardian, Frans Timmermans, vice-presidente da Comissão Europeia, garantiu que, se ninguém fizer nada, daqui a 50 anos “vamos ter mais plástico do que peixe nos oceanos.”

Fonte: Antonio Oliveira E Silva, Euronews