Prova do laço e natureza ganham espaço em carnaval de MS

No país do carnaval é difícil encontrar um lugar onde não se ouça samba-enredo ou marchinha de carnaval. Mas em Mato Grosso do Sul, a terra do Pantanal, quem quer fugir da folia pode ir para Corguinho, onde tem o tradicional “Carnalaço” ou para Rio Verde de Mato Grosso curtir o “Carna Verde”.

O Carnalaço é a tradicional festa do laço comprido realizada há 16 anos no município que fica na região oeste do estado. Com 4.862 habitantes, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nos três dias de evento – começou sexta-feira (9) e vai até domingo (11) – chega a reunir até mil pessoas por dia.

De acordo com a presidente do Clube de Laço União Corguinhense Thalita de Andrade, o período foi escolhido porque não coincide com nenhuma outra festa na região. “Sempre foi no carnaval porque teve um ano que foi em junho e batia com muita festa e o pessoal do laço não gostava de carnaval, daí escolheu esse período”, disse.

Ela disse que é um evento familiar e tem a participação de pessoas de outros estados como Minas Gerais, São Paulo, Goiás e Paraná. “Tem caravanas que acompanham as provas”, disse.

Além das provas de laço e da vaca gorda que são realizadas durante o dia, todas as noites tem o Baile Carapé com Grupo Postal Sul, a dupla Pedro e Evandro e o Grupo Trancaço Baileiro. A entrada é gratuita.

Se o objetivo é descansar e curtir a natureza nesses dias a escolha pode ser o Sítio Passarim, em Rio Verde de Mato Grosso, distante 201 quilômetros da capital sul-mato-grossense. São três dias preparados para muito relaxamento.

O responsável pela propriedade Rafael Arruda disse que atende o público de dentro e fora do estado que procurar fugir da folia. “O Carna Verde já tem cinco anos que a gente faz aqui no sítio, a gente procura um público que procura um pouco mais de paz a tranquilidade, sem barulho”, contou.

Além das acomodações feitas de bio-construção próximo à natureza e refeição completa, todas as manhãs há aula de yoga e à noite luau com caldo e música ao vivo em volta da fogueira. Os visitantes têm a opção de ficar em quartos ou barracas.

Fonte: G1

Esta entrada foi escrita emClipping e tags ,