Grupo norueguês reconhece contaminação do rio Pará e pede desculpas

O grupo norueguês Norsk Hydro, acusado de causar danos ambientais no norte do Brasil, pediu desculpas nesta segunda-feira (19/03) pelo lançamento de água não tratada no rio Pará.

“Descartamos água de chuva e da superfície da refinaria [Hydro Alunorte] não tratadas no rio Pará”, afirmou o presidente da Norsk Hydro, Svein Richard Brandtzaeg, reconhecendo o crime ambiental. “Isso é completamente inaceitável e contraria o que a Hydro acredita. Em nome da companhia, peço desculpas às comunidades, às autoridades e à sociedade.”

As autoridades brasileiras acusaram a empresa de ter contaminado a água do município de Barcarena com resíduos de bauxita, que, segundo elas, saíram de um reservatório da refinaria Hydro Alunorte, que pertence ao Norsk Hydro, depois de uma forte chuva, em 16 e 17 de fevereiro.

Em resposta, o Ibama aplicou multas de 20 milhões de reais à Hydro Alunorte e embargou o depósito de rejeitos sólidos e a tubulação de drenagem de resíduos da área industrial da refinaria.

Na quinta-feira passada, a Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará voltou a autuar a mineradora após fiscais identificarem uma ligação entre a canaleta de escoamento de água das chuvas do galpão de carvão e o sistema de drenagem da fábrica ao lado, a Albras, que culmina no rio Pará.

Segundo a secretaria, parte da água pluvial acumulada no interior do terreno da refinaria Hydro Alunorte era lançada ao exterior por meio dessa ligação clandestina, sem antes passar pelo sistema de tratamento de efluentes industriais, conforme estabelece a licença de operação concedida à empresa.

Entre notificações e autos de infração, a autuação da última quinta-feira é a oitava sanção aplicada pela secretaria estadual à empresa. Entre elas está a determinação para redução das operações e do nível de água nos depósitos de rejeitos. A secretaria ainda calcula o valor total das multas. Após ser notificada, a empresa terá prazo para apresentar sua defesa.

Na sexta-feira, a empresa norueguesa anunciou ter planos de investir cerca de 212 milhões de reais, ou 500 milhões de coroas norueguesas, no sistema de tratamento de água da refinaria de Barcarena, ampliando a capacidade da unidade de suportar condições climáticas extremas.

Fonte: Deutsche Welle