Baixada terá produção agroecológica

Essencial para captação de água, a Reserva Biológica do Tinguá, com 26 mil hectares entre a Baixada Fluminense e a Região Serrana, ganhará incentivos para evitar o desmatamento, proteger os recursos hídricos e aumentar a renda dos trabalhadores rurais. Com investimento de R$ 5,5 milhões, o projeto Caruanas vai implantar 50 módulos de produção agroecológica sem uso de defensivos químicos e agrotóxicos em pequenas propriedades de Duque de Caxias e Nova Iguaçu.

Com o programa, a agricultura local será transformada em uma 100% livre de agrotóxicos, tornando a produção um dos maiores polos orgânicos do Brasil. Inicialmente, 50 produtores rurais, sendo 25 de cada município, foram selecionados. Mas a expectativa é que, ao longo dos oito anos do projeto, mais produtores sejam beneficiados na área de 10 quilômetros no entorno da fábrica Bonafont, envasadora de água mineral da Danone. A empresa se juntou com o Sebrae, responsável pela execução do projeto, para dar vida ao Caruanas, com apoio do fundo de investimentos Livelihoods.

“O projeto vai trabalhar a questão da capacitação e da produção rural da pequena propriedade, o comércio e a distribuição de um produto orgânico de qualidade, além de cuidar do meio ambiente e da proteção da fonte da bacia hidrográfica na qual o projeto está inserido”, destacou Wilson Mello, secretário geral da Danone.

Os agricultores são peças fundamentais para preservação das nascentes da reserva. Para isso, o Caruanas utiliza a agricultura orgânica, livre de agrotóxicos, o que evita a contaminação dos cursos hídricos. Há também o investimento no uso racional da água na agricultura. Com o projeto, os produtores e suas famílias também são capacitados com ações de preservação do solo, evitando erosão, e proteção das matas.

KIT AGROECOLÓGICO

Cada produtor receberá um kit de iniciação agroecológica, de uma metodologia já aplicada pelo Sebrae em todo o país. Eles ganharão material para produção agrícola em formato de mandala, com um galinheiro no centro, hortaliças e árvores frutíferas ao redor, em uma área de pelo menos meio hectare. Em um modelo sustentável e eficiente, a irrigação é feita por sistema de gotejamento e alimentada por energia solar. Os agricultores terão acompanhamento técnico permanente do Sebrae enquanto durar o projeto.

“Nosso papel é levar o conhecimento para os que não tem acesso a ele, para quem tem vontade de mudar e de aprimorar as técnicas no campo para produzir com sustentabilidade ambiental e social”, explicou a presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae-RJ, Carla Pinheiro.

Situada em uma área densamente povoada, a Reserva do Tinguá tem mata atlântica primária e mais de 32 nascentes. Além de Nova Iguaçu e Duque de Caxias, ela abrange os municípios de Petrópolis e Miguel Pereira. Na área da reserva encontram-se em operação seis estações de tratamento de água da Cedae, proveniente de 30 pontos de captação.

Fonte: O Dia

Esta entrada foi escrita emClipping e tags , ,