Lixo nuclear alemão corre risco de vazar, diz mídia

Barris amarelos de metal com lixo radioativoDepósito no norte da Alemanha tem 1.484 barris com lixo de clínicas de radiologia e radioterapia

Centenas de barris com resíduos nucleares de uma instalação de armazenagem provisória na cidade de Leese, no estado da Baixa Saxônia, precisam ser examinados quanto ao risco de vazamentos, de acordo com uma reportagem da emissora de rádio alemã NDR, divulgada neste no domingo (15/05).

O secretário do Meio Ambiente do estado, Olaf Lies, disse à agência de notícias DPA que existem 442 barris que devem ser examinados por causa de possível formação de umidade dentro deles. Segundo ele, há conhecimento de que 13 barris apresentam indícios de ferrugem. De acordo com Lies, os tonéis teriam que ser alocados em recipientes adicionais antes de serem transportados.

A empresa que gerencia a instalação de armazenamento provisório, Eckert & Ziegler, não quis comentar a informação, afirmando se tratar de “especulações”.

Resíduos radioativos originados do estado da Baixa Saxônia têm sido armazenados em Leese há anos. De acordo com a NDR, os barris contêm resíduos médicos, como de clínicas de radiologia e de radioterapia. Há um total de 1.484 barris no local.

Conforme a reportagem, os barris avariados não podem ser reparados em Leese porque estão depositados de forma muito próxima uns dos outros. Fotos da Secretaria do Meio Ambiente mostram barris que foram empilhados até o teto. Entre eles há uma passagem de apenas 70 centímetros de largura.

“Os barris estão tão densamente empilhados que apenas um número muito limitado deles pode ser alcançado. Podemos ver que os barris enferrujados estão em algum lugar na segunda fila”, reclama Thorben Gruhl, membro de uma associação de cidadãos locais.

O local de armazenamento está localizado em uma área industrial de Leese, a cerca de 100 metros de um depósito de móveis, de um pátio de reciclagem e um campo de paintball.

Mesmo se os barris forem reparados com sucesso, ainda permanece a questão do destino final deles. Ainda não há um depósito definitivo para os resíduos nucleares.

Fonte: Deutsche Welle