Havaí proíbe o uso de filtros solares químicos para proteger os recifes de corais

Os parlamentares do estado norte-americano do Havaí aprovaram uma lei que tem como objetivo principal a proibição do uso de filtros solares químicos que são prejudiciais aos recifes de corais em todo estado.
A aprovação da lei falta ser sancionada pelo governador do Estado para entrar em vigor. O Estado do Havaí será pioneiro neste tipo de proteção e que está atitude sirva de exemplo para os demais países que pouco se importam com a preservação ambiental de uma forma geral.

Segundo os pesquisadores os filtros solares químicos apresentam uma substância chamada de oxibenzona e uma outra conhecida como octinoxato que demonstraram alterar o DNA do coral jovem de forma que ele não seja capaz de se desenvolver adequadamente.

Além de prejudicar os recifes de corais, há evidências de que esses produtos químicos representam um perigo para os seres humanos, agindo como disruptores endócrinos (*Disruptores endócrinos são substâncias exógenas que agem como hormonas no sistema endócrino e causam alterações na função fisiológica das hormonas endógenas. Wikipedia) e potencialmente danificando o DNA humano.

Os opositores da proibição dizem que o Havaí, que já tem uma alta incidência de câncer, experimentará um aumento nas taxas de câncer de pele. A proibição não incluirá protetores solares prescritos que contenham esses ingredientes, nem inclui filtros solares com bloqueadores solares como o zinco, portanto as opções de proteção ainda estarão disponíveis. A proibição entrará em vigor em 01 de janeiro de 2021.

Fonte: Meio Ambiente Rio