Como surgiu o Dia Mundial do Meio Ambiente? (05 de Junho)

O Dia Mundial do Meio Ambiente foi instituído em 1972 durante a Conferência Mundial do Meio Ambiente, promovida pela Organizações das Nações Unidas (ONU). Essa conferência foi realizada de 05 a 16 de Junho de 1972 em Estocolmo, capital da Suécia. A data comemorativa de 05 de Junho foi dada ao primeiro dia desta Conferência e, posteriormente, passou a significar um dia de lembrança e de ações que deve-se promover em prol do meio ambiente.

A Conferência Mundial do Meio Ambiente de Estocolmo também significou a criação do (UNEP – United Nations Environment Programme), conhecido em português pela sigla PNUMA (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente), instituição de grande importância nos estudos relativos ao clima e ao meio ambiente. Nesta Conferência também foi elaborada a Declaração da Conferência da ONU sobre Meio Ambiente.

Por que existir um data sobre meio ambiente?

Primeiramente porque todos nós (pessoas, empresas e governos) temos responsabilidade em relação ao que produzimos e consumimos. E isso não é um discurso de ecochato. Vivemos em um planeta de recursos limitados e otimizar o seu uso de forma sustentável é o mínimo que podemos fazer!

Os problemas ambientais estão à vista de todos: lixo jogado nas ruas das cidades e, pior, nos cursos d’agua (rios, lagos, etc), provocando a poluição e diminuindo o bem-estar das pessoas. Em vários casos causando contaminação, doenças e proliferação de insetos. Daí depois vem uma enchente e se perguntam o por quê a água fica represada. A resposta: por causa do lixo que entupiu as saídas dos rios!

Atitudes erradas e pouco responsáveis como lavar as calçadas com a mangueira d’água é outro exemplo. Por que não usar a vassoura e um balde com água? Por que sempre abusamos dos recursos abundantes que temos?

Como fazer a nossa parte?

Podemos fazer muito pelo meio ambiente se cada um de nós assumir a nossa responsabilidade individual. E como isso pode ser feito? Se somos parte do governo ou das empresas podemos estimular o desenvolvimento de novas tecnologias que sejam mais inteligente e que otimizem os recursos. Instalação de painéis solares ou de geradores de energia eólica ajudarão a diminuir a sobrecarga do sistema convencional de geração elétrica. Desenvolvimento de tecnologias como a reutilização da água. Por exemplo, no sistema grey water utiliza-se a água da pia do banheiro e, posteriormente, a mesma água passa em canos e vai abastecer o reservatório do vaso sanitário. A mesma água é utilizada duas vezes! Isso é tecnologia inteligente que alia o aspecto ecológico com o econômico!

Atitudes simples como fechar uma torneira, utilizar torneira com desligamento automático, apagar a luz em um cômodo da casa em que não há ninguém, estimular e praticar a coleta seletiva do lixo que favorecerá posteriormente a reciclagem dos materiais, uso de produtos que não agridam a camada de ozônio, uso de combustíveis mais limpos em detrimento os combustíveis fósseis, prática da educação ambiental ensinando sustentabilidade às novas gerações, plantio de árvores, etc são situações corriqueiras e que podem ser exercidas por cada um de nós!

Lembrem-se sempre do tripé da sustentabilidade composto pelo “social, ambiental e econômico” e que foi destacado por John Elkington em seu excelente livro “Sustentabilidade: canibais com garfo e faca”. Nosso mundo precisa de pessoas, empresas e governos que tenham este modelo em mente.

Viva 05 de Junho, o Dia do Meio Ambiente!

Fonte: Ricardo Ribeiro Alves