Ministro pede engajamento pelas águas

O ministro do Meio Ambiente, Edson Duarte, afirmou, nesta quinta-feira, que para enfrentar os muitos desafios frente aos recursos hídricos é preciso o engajamento de todos. “Isso impõe uma mobilização urgente nacional, de tal forma que a solução não passe apenas por uma solução de governo, tem que ser uma ação democratizada e participativa”, defendeu, durante a a abertura do seminário O Brasil que Cuida de suas Águas: Construindo as Bases para o Programa Nacional de Bacias Hidrográficas. “Este encontro, que mobiliza e traz os parceiros, é fundamental para buscarmos soluções para não só garantir quantidade, mas também a qualidade das nossas águas”, completou.

O ministro lembrou que a cada ano a crise hídrica se aprofunda em todo o mundo, tanto pelos efeitos climáticos, como pela gestão dos recursos hídricos. Para ele, é preciso reforçar e fortalecer os comitês de bacias hidrográficas em todas as regiões do país para superar as dificuldades enfrentadas hoje no Brasil. “Eu acredito sempre na participação, na integração para sermos mais fortes. Quero aqui levantar a bandeira do fortalecimento dos comitês de bacias hidrográficas. É para mim o modelo mais moderno de gestão que existe no mundo. Precisamos trabalhar fortemente para constituir aonde não tem, e, onde tem, vamos fortalecer esses comitês”, anunciou.

O evento, realizado nesta quinta-feira, em Brasília, faz parte das comemorações da Semana do Meio Ambiente. Tem por objetivo integrar e mobilizar instituições parceiras para dar início ao processo de construção do Programa Nacional de Bacias Hidrográficas, que visa preservar, conservar e recuperar os rios brasileiros.

DEMANDA DA SOCIEDADE

O secretário de Recursos Hídricos e Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Jair Tannús Júnior, disse que o programa lança um novo olhar sobre as políticas ambientais e reafirmou a necessidade de uma gestão integrada. “O programa visa fomentar uma visão integradora e de uma gestão pública inovadora com ações enérgicas e conectadas nos territórios. É imprescindível que as políticas ambientais sejam cada vez mais participativas para ter uma maior legitimidade, transparência e adequação às reais necessidades socioambientais de cada região”, destacou o secretário do MMA.

O diretor de Proteção Ambiental do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), Luciano Evaristo, responsável pela fiscalização ambiental federal, destacou os danos causados pelo garimpo ilegal na Amazônia ao comentar ações de conservação de recursos hídricos. Ele citou exemplos de ações realizadas pelo Ibama, principalmente em Terras Indígenas. “Onde tem garimpo o rio morre”, disse Evaristo.

AGENDA 2030

O seminário O Brasil que Cuida de suas Águas ocorre no âmbito da Agenda 2030 dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS) e do Relatório Mundial das Nações Unidas sobre Desenvolvimento dos Recursos Hídricos (edição 2018), que apresenta soluções baseadas na natureza como fundamentais para uma melhor gestão da água.

O evento dá sequência aos debates realizados no VIII Fórum Mundial da Água, em março, em Brasília e precede a V Conferência Nacional Infanto-Juvenil pelo Meio Ambiente, com o tema Vamos Cuidar do Brasil cuidando das Águas, a se realizar no período de 15 a 19 de junho de 2018, em Campinas, São Paulo.

Fonte: MMA

Esta entrada foi escrita emClipping e tags ,