Maior problema ambiental brasileiro é a concentração de terras, diz ecologista

Um artigo publicado pela revista Nature Climate Changing, escrito por dez pesquisadores brasileiros, publicado no início do mês, aponta que o desmatamento no Brasil pode chegar a ter um impacto de R$ 2 trilhões para a economia.

A razão apontada pelos pesquisadores é de que o governo Michel Temer tem cedido demais às barganhas feitas por grupos ligados ao agronegócio no Congresso Nacional e as concessões feitas a esse segmento têm gerado retrocessos na legislação ambiental.

Em entrevista à Sputnik Brasil, Mário Mantovani, diretor de Políticas Públicas da Fundação SOS Mata Atlântica, é duro ao criticar os privilégios que a chamada bancada ruralista consegue ter com o presidente Michel Temer.

“Nós estamos falando de 200 milhões de hectares no Brasil para a pecuária com apenas um boi para cada hectare, ou seja, tem mais espaço um boi hoje do que um cidadão do ‘Minha Casa, Minha vida’.  A gente está vivendo hoje um processo muito ruim, de ocupação errada, que já comprometeu demais esse bioma da Amazônia e isso se agrava com o governo cedendo à chantagem desses grupos que estão ocupando essas terras para fins de especulação”, afirmou.

Colheita de trigo (foto de arquivo)

A região da Mata Atlântica já foi reduzida a 8% da sua vegetação original, o Cerrado a 50%, a Amazônia está vivendo um processo semelhante e já perdeu 20% da sua área.Segundo Mário Montovani, o chamado crédito agrícola, um fundo público criado para garantir a produtividade do agronegócio, está sendo usado para a especulação de terras na Amazônia e compra de agrotóxicos.

“O dinheiro ofertado para os pequenos proprietários não chega a R$ 10 bilhões. Menos do que é ofertado aos grandes proprietários para comprarem veneno. E esses pequenos proprietários, que tem menos de 20% da terra, que produzem toda a nossa alimentação. Essa pressão que vem sido feita por essa bancada irrigada com o nosso dinheiro porque o crédito agrícola é um dinheiro de toda a população brasileira e que deixa de ir pra saúde, habitação, transporte e segurança”, comentou.

Mantovani disse que a aprovação do Código Florestal durante o governo Dilma, a Amazônia tem vivido um processo mais intenso de desmatamento, que pode não ter mais volta.”Outro problema muito grande é a savanização da Amazônia, ela está em limite muito perigoso de não ter mais retorno e isso já mostrado em inúmeros trabalhos publicados por diversos pesquisadores”, completou.

Fonte: Sputnik News