Mais da metade dos americanos acreditam que o aquecimento global existe e que humanos são responsáveis

Gelo flutua enquanto equipe de pesquisadores analisa os efeitos do aquecimento global no mar de Chukchi.  (Foto: David Goldman/AP Photo)

Gelo flutua enquanto equipe de pesquisadores analisa os efeitos do aquecimento global no mar de Chukchi. (Foto: David Goldman/AP Photo)

Um relatório nacional divulgadonesta segunda-feira (16) mostra que os americanos acreditam, em sua maioria, na existência do aquecimento global. De acordo com a pesquisa realizada entre abril e maio deste ano, 73% dos americanos acham que existe evidência sólida de aquecimento global e 60% concordam que os humanos têm pelo menos uma responsabilidade parcial sobre a mudança do clima.

Outros dados do estudo:

  • 75% dos democratas têm a visão de que humanos tem pelo menos uma culpa parcial na mudança do clima, contra 35% dos republicanos
  • 34% dos americanos acreditam que os humanos são os principais responsáveis
Posição de americanos com relação à existência do aquecimento global
Valores correspondem à % de pessoas que respondeu ao estudo nacional
%Sim, há sólida evidênciaNão há evidência sólidaNão tenho certezaPrimavera2015Outono2015Primavera2016Outono2016Primavera2017Outono2017Primavera2018020406080

Outono 2016
● Sim, há sólida evidência: 70
Fonte: National Surveys on Energy and Environment

O nível recorde de crença no aquecimento global pelos americanos foi acompanhado também por uma maior porcentagem de pessoas que acredita na influência humana no fenômeno, como mostram os dados. Foram entrevistados 751 pessoas, com pelo menos 18 anos. O nível de confiança da pesquisa é de 95%, com variação de quatro pontos percentuais acima e quatro abaixo.

A Pesquisa Nacional sobre Energia e Meio Ambiente (NSEE, sigla em inglês) já tem 19 edições onde os americanos são perguntados sobre as questões climáticas. O estudo deste ano, com etapas em andamento com a ajuda da Universidade Michigan e Muhlenberg College, tem a maior porcentagem de pessoas que acreditam na mudança no clima desde 2008 – quando o índice era de 72%.

Fonte: G1