Autoridades japonesas alertam para riscos de onda de calor

Calor em TóquioEm Tóquio, as temperaturas vêm girando em torno dos 35 °C

A Agência Meteorológica do Japão lançou um alerta nesta quarta-feira (18/07) sobre uma grave onda de calor que assola várias partes do país, com previsões de temperaturas de até 40°C.

Nesta terça-feira, ao menos seis pessoas morreram, e centenas foram hospitalizadas devido ao calor. Uma das vítimas era uma criança de 6 anos que perdeu a consciência e acabou morrendo após uma excursão na cidade de Toyota, no centro do país, noticiou a mídia local. Além de crianças, o risco é particularmente grande para idosos.

Nos últimos dias, cerca de 20 pessoas morreram devido ao calor, e quase 10 mil foram hospitalizadas no país, de acordo com a Agência de Gestão de Incêndios e Desastres. As autoridades preveem que a onda de calor perdure até o fim de julho.

A onda de calor escaldante atinge o Japão logo após cerca de 220 pessoas terem morrido em enchentes e deslizamentos de terra provocados por chuvas torrenciais no oeste do país. Nesta terça-feira, as temperaturas chegaram a 34,3°C nas áreas afetadas, dificultando o trabalho de militares e voluntários que removem lama e entulho.

No último domingo, temperaturas de 35°C ou mais – conhecidas em japonês como “dias de calor intenso” – foram registradas em 200 localidades. Em Okayama, por exemplo, foi medido um pico de 36,8°C nesta segunda-feira, bem acima de média de 31°C da cidade. Em Tóquio, as temperaturas vêm girando em torno dos 35°C.

Uma onda de calor semelhante não é comum em julho, embora não seja inédita. Temperaturas similares foram medidas em mais de 200 localidades num dia de julho de 2014. No ano passado, 48 pessoas morreram e mais de 50 mil foram hospitalizadas devido ao calor entre maio e setembro, com 31 mortes em julho, segundo autoridades.

A cada ano, o calor extremo no verão preocupa mais o Japão. Tendo em vista o turismo e os Jogos Olímpicos de 2020, em Tóquio, o governo preparou folhetos informativos em inglês e outros idiomas alertando para os riscos do calor.

Especialistas temem que em breve grandes cidades japonesas passem a ser quentes demais para se viver, devido ao concreto, ao aço, ao asfalto, aos gases emitidos por veículos e à perda de áreas verdes

Fonte: Deutsche Welle