Por que o ródio se tornou o metal precioso mais caro do mundo

Catalisadores automotivos utilizam ródio para reduzir emissão de poluentes
Catalisadores automotivos utilizam ródio para reduzir emissão de poluentes

O ródio é usado principalmente nos catalisadores automotivos, para diminuir as emissões de gases tóxicos. Como o controle de poluentes é uma tendência em alta, a indústria automobilística “o demanda cada vez mais para cumprir suas metas ambientais”, afirma David Holmes, vice-presidente de comércio da Heraeus Metals, empresa que trabalha com venda de metais.

Por outro lado, o ródio é escasso, extraído por poucos países, entre eles Rússia e África do Sul – a maior mineradora do metal, onde a produção, aliás, está em queda.

Essa combinação de demanda em alta e oferta em baixa cria grande incerteza no mercado. Há uma década, o preço do ródio era de US$ 10 mil por onça (28 gramas), valor que despencou para US$ 1 mil em 2009. Em agosto de 2016, atingiu seu menor valor, US$ 639. Hoje está em expressivos US$ 2,3 mil. Uma montanha-russa que deixa qualquer investidor nervoso.

Símbolo químico do ródio
Preço do ródio é bastante volátil

De catalisador automotivo a revestimento de joias

O ródio tem grande variedade de usos comerciais porque é um bom condutor de eletricidade. Além disso, devido à elevada dureza, é utilizado em ligas com outros metais, para que elas tenham resistência mais alta à corrosão.

É demandado na indústria eletrônica, que o utiliza em alguns equipamentos ópticos e em certos tipos de espelhos. Na joalheria, é utilizado em quantidades muito pequenas para aumentar a resistência do ouro e lhe dar uma aparência mais brilhante.

Não existem minas de ródio. Ele é, na verdade, um subproduto de outras atividades da mineração. Na África do Sul, que concentra 80% da produção, é um subproduto da platina. Na Rússia, é um subproduto do níquel.

A redução da produção sul-africana se deve à queda no preço da platina, que levou a mineradora Impala Platinum Holdings a anunciar que vai reduzir sua extração do metal – e, por consequência, do ródio – no país em um terço até 2021.

A comunicação contribuiu para a nova alta no preço do ródio.

E é provável que ele continue subindo: a China vem aumentando seu apetite pelo metal, em sua cruzada para reduzir as emissões poluentes dos automóveis.

Fonte: BBC