EXCLUSIVO: Unidade de conservação sergipana vai proteger Caatinga e a gruta onde morreu Lampião

Mônica Pinto / AmbienteBrasil

Natureza e história preservadas em uma tacada só. Essa é a proposta básica da primeira unidade de conservação estadual de Sergipe – o Monumento Natural da Grota do Angico -, cujo processo de implantação encontra-se em andamento.

A UC abrange áreas dos municípios de Poço Redondo e Canindé do São Francisco, situadas no alto sertão sergipano. Com pouco mais de 2,3 mil hectares vai resguardar a Grota do Angico – daí seu nome -, local onde Lampião foi morto junto com seu bando, dando fim ao ciclo do Cangaço.

À parte desse significado histórico e cultural, o Monumento Natural vai preservar um fragmento importante de Caatinga, ecossistema genuinamente brasileiro, presente em todos os estados do Nordeste e em parte de Minas Gerais.

“É uma vegetação pouco protegida, que vem sofrendo um processo de degradação muito grande”, disse a AmbienteBrasil o secretário de Meio Ambiente e Recursos Hídricos de Sergipe, o biólogo Márcio Macedo.

Ele destaca que a Caatinga, ainda pouco estudada pela Ciência, tem grande chance de englobar princípios benéficos não só à vida de modo geral, mas sobretudo à raça humana.

No caso específico do Monumento Natural da Grota do Angico, há ainda a vantagem dele estar situado às margens do São Francisco, o que contribui para o processo de revitalização do rio, hoje em curso sob condução do Governo Federal, em paralelo ao polêmico projeto da transposição de suas águas.

Na terça-feira passada, foram realizadas duas audiências públicas, nas cidades de Poço Redondo e Canindé do São Francisco, como parte do caminho legal à concretização da UC. “Tivemos a presença maciça dos setores organizados da sociedade e a aprovação à proposta foi unânime”, diz Márcio.

Após serem incorporadas ao projeto algumas das sugestões apresentadas nos eventos, o documento segue à Procuradoria do Estado para ajustes legais e, enfim, à assinatura do decreto de criação da UC pelo governador Marcelo Deda.
A expectativa do secretário Márcio Macedo é que todo esse processo chegue ao final ainda em 2007. “O governador já anunciou que vai disponibilizar R$ 500 mil para a implantação da unidade de conservação”, antecipa ele. “Vamos fazer o Plano de Manejo e colocar lá uma sede com carro”.

Entre outros aspectos, o Plano de Manejo vai contemplar o ordenamento do turismo ecológico, segmento que deverá ser fortemente estimulado com a implantação da UC, conforme as expectativas da Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos.

A neta de Lampião, Vera Ferreira, compareceu à audiência pública de Poço Redondo. Disse aguardar com ansiedade a criação do Monumento Natural, classificando-a como “um passo importante para a preservação da caatinga e da grota”.

Macaco-Guigó

Outra unidade de proteção integral está para ser implantada pelo Estado de Sergipe: o Refúgio de Vida Silvestre da Mata do Junco, no município de Capela – distante 67 Km de Aracaju -, onde foi realizada audiência pública sobre a UC no dia 13 passado.

A UC vai preservar remanescentes de Mata Atlântica e abriga rios e riachos que compõem a bacia do Japaratuba, importante para o abastecimento de água do município homônimo e de outras cidades, circunvizinhas.

A Mata do Junco é também habitat do macaco-guigó, espécie classificada recentemente pela Ciência, mas já constante na lista das em risco de extinção.

Outra peculiaridade da futura UC é sua vizinhança com um assentamento de reforma agrária. “Temos uma proposta em consenso com o MST, dos assentados nos ajudarem na conservação”, diz Márcio Macedo, para quem “essa é uma experiência única de gestão compartilhada”.

(Foto da Grota do Angico na página inicial foi retirada do site do Águas de Xingó Hotel)
Esta entrada foi escrita emExclusivas e tags
Ambientebrasil - Notícias located at 511/67 Huynh Van Banh , Ho Chi Minh, VN . Reviewed by 43 customers rated: 4 / 5