EXCLUSIVO: Salada em pó – pesquisadores desenvolvem tomate para preparo instantâneo

Pesquisadores da Faculdade de Engenharia de Alimentos, FEA, da Universidade Estadual de Campinas, Unicamp, em São Paulo, estão desenvolvendo uma metodologia para a obtenção do tomate em pó.

A autora a autora da pesquisa, a engenheira de alimentos Vanessa Goulart Machado, explica que ainda são necessários alguns ajustes, mas o estudo já permitiu o processamento e a secagem do tomate. O próximo passo é adequar o procedimento para a comercialização.

“São necessários alguns ajustes na formulação para melhorar propriedades como a retenção de licopeno, uma das principais substâncias existentes no tomate, que confere a coloração vermelha à fruta e com reconhecida atividade antioxidante. Por outro lado, já conseguimos uma boa retenção de vitamina C e uma formulação mínima para ser usada na indústria de alimentos. Estamos no caminho certo”, disse a pesquisadora.

A utilização do tomate em pó ainda não é muito difundida no Brasil, de acordo com a engenheira, mas alguns países, como a Grécia, seu uso é muito comum. O fruto, in natura, costuma ser utilizado na preparação de alimentos, ou em saladas. A formulação em pó cria novas possibilidades para o consumo.

Para o estudo, a polpa do tomate foi retirada e secada por um processo semelhante ao utilizado na fabricação do leite em pó, o spray drying. Diversas formulações foram testadas, com variações de temperatura, agentes e outras substâncias.
*Com informações da Unicamp.

Esta entrada foi escrita emExclusivas e tags