EXCLUSIVO: Qualidade da borracha produzida no Amazonas é avaliada em estudo do Inpa

Um estudo de mestrado desenvolvido pelo aluno de Pós Graduação em Ciências de Florestas Tropicais do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia, Inpa, Peter Wimmer, avaliou a produção de borracha natural em sistemas agroflorestais de várzea, em Itacoatiara, que fica distante 176 quilômetros de Manaus, AM.

Para a elaboração da pesquisa, 12 propriedades rurais da região foram estudadas. O projeto foi dividido em três etapas, sendo que inicialmente foram caracterizados os meios de produção das populações ribeirinhas.

A segunda fase consistiu na caracterização dos sistemas agroflorestais com um levantamento florístico. O levantamento apontou que a seringueira geralmente está presente de forma consorciada com outras espécies, como açaí, cacau, taperebá, bacabinha e banana.

A etapa final, de acordo com dados divulgados pelo Instituto, avaliou a produção de borracha, utilizando critérios como o número de seringueiras produtivas, seu arranjo espacial, formas de extração e beneficiamento do látex utilizados pelos produtores, além da produtividade de látex por planta e intensidade de exploração das seringueiras.

O estudo apontou que as técnicas de exploração são adequadas, mas a qualidade do produto final ainda é baixa. “Atualmente, toda a borracha que está sendo produzido no estado é para fabricação de pneus, no entanto, se a qualidade da borracha fosse melhorada, poderia ter uma finalidade mais nobre”, avaliou Wimmer.
*Com informações do Inpa.