EXCLUSIVO: Estudo sobre o comportamento alimentar de ovinos orienta ações de recuperação do cerrado

A preferência alimentar dos ovinos em área de cerrado foi tema da dissertação de mestrado em Ciências Agrárias da Universidade Federal de Minas Gerais, UFMG, defendida pela bióloga Franciellen Morais Costa.

Durante uma ano, a pesquisadora avaliou o comportamento alimentar dos animais em uma área de 1,5 hectare dentro do campus da UFMG, em Montes Claros. As espécies escolhidas eram coletadas e analisadas. Ao todo, entre as 2.785 plantas amostradas, 94 espécies foram identificadas, em 72 gêneros e 33 famílias.

Entre as espécies mais procuradas, de acordo com a pesquisa, estão Andropogon sp. (capim), Baccharis tridentada, Casearia sylvestris (pau de espeto), Paullinia sp. e Schinopsis brasiliensis (braúna).

As informações são importantes, segundo a bióloga, para que sejam orientadas as ações de recuperação do cerrado e para que os criadores usem pastagens naturais para alimentar seus rebanhos. “Serve também de alerta para os pequenos produtores, no sentido de preservar essas espécies”, disse.

*Com informações da UFMG.