Horário de verão e meio ambiente

O horário de verão sempre divide a opinião pública. Enquanto alguns adoram a sensação de chegar em casa cedo, outros não gostam da ideia de ir dormir mais tarde e acordar ainda no escuro. No entanto, uma coisa é fato: antecipar os ponteiros do relógio em uma hora traz ganhos econômicos e ambientais.

O principal objetivo é aproveitar melhor a luz natural em vez da artificial no período mais crítico do dia, ou seja, das 18h às 21h quando a coincidência de consumo de energia por toda a população provoca um pico, denominado “horário de ponta”. No Brasil a medida foi implantada pela primeira vez em 1931 com o Decreto de Lei nº 20.466, de 01 de Outubro de 1931. Porém, somente a partir de 1985 passou a ser praticada anualmente.

De acordo com Ministério de Minas e Energia, em uma nota emitida em março deste ano, o horário de verão 2016/2017 possibilitou uma economia de R$ 159,5 milhões, decorrentes da redução do acionamento de usinas térmicas durante o período de vigência desse horário.

O horário de verão além de ser importante sob o ângulo da economia de energia, preserva o meio ambiente, pois reduz a utilização de combustíveis na geração de energia, o consumo de materiais da iluminação artificial além de reduzir a implantação de novas geradoras térmicas para garantir o suprimento nas horas de pico do sistema elétrico.

Neste ano, o horário de verão no Brasil terá início a meia noite deste domingo, dia 15 de outubro e se estenderá até 17 de fevereiro de 2018. Fiquem atentos, apesar de existir o horário de verão, é interesse entender e refletir sobre a importância de se economizar a energia o ano inteiro.

Saudações Ecológicas!

Fonte: Jornal A Semana

Esta entrada foi escrita emClipping e tags , ,