Diminui erosão eólica ao longo da Ferrovia Qinghai-Tibet, dizem cientistas

Cientistas chineses concluíram que houve decrescente erosão do vento de 1979 a 2012 ao longo da Ferrovia Qinghai-Tibet. O modelo de erosão da superfície terrestre Noah-MPWE foi desenvolvido pela Academia Chinesa de Ciências para simular a erosão eólica ao longo da ferrovia.

Ferrovia Qinghai-TibetFerrovia Qinghai-Tibet

Foi aplicado em oito pontos para investigar a distribuição e variação da erosão de 1979 a 2012.O resultado mostrou que menos ventos fortes, mais água e a umidade do solo contribuíram para a redução.A cobertura de neve e de vegetação também impactou muito para isso.Porém, as tendências de desertificação ao longo da ferrovia ainda são desconhecidas e precisam ser exploradas.

Com 1.956 quilômetros, a mais alta ferrovia no mundo vai de Xining, na Província de Qinghai, até Lhasa, capital da Região Autônoma do Tibet. Aberta em 2006, é um marco da engenharia por cobrir terreno acidentado e solo congelado.

Fonte: Meio Ambiente Rio

Esta entrada foi escrita emClipping e tags ,