Pesquisadores capacitam alunos em mapeamento digital de solos

Desde 2013, universidades de ponta e institutos de pesquisa brasileiros têm capacitado alunos em mapeamento digital de solos (MDS). A dupla de pesquisadores da Embrapa Solos (Rio de Janeiro-RJ) Cesar da Silva Chagas e Waldir de Carvalho Junior é responsável por levar esse conhecimento aos estudantes.

A primeira turma, há quatro anos, foi do departamento de solos da UFRRJ, com 13 alunos da pós-graduação. O objetivo geral da disciplina foi de apresentar e discutir os fundamentos e técnicas da pedometria, com ênfase em práticas computacionais aplicadas ao mapeamento de classes de solos e estudo da variabilidade espacial e vertical de propriedades de solos. “Neste curso, foi adotada a linha de uso de softwares livres de estatística espacial e sistemas de informações geográficas (SIG) para aplicação de conjuntos de algoritmos e métodos preditivos como regressões, árvores de decisão e regressão, random forest, redes neurais e krigagem, para espacialização de classes e atributos físicos e químicos de solos”, conta Waldir. A Rural do Rio de Janeiro voltou a oferecer a matéria em 2016 (08 alunos) e este ano (06 alunos).

De lá para cá, o curso já foi reeditado nos departamento de solos e engenharia civil da Universidade Federal de Viçosa (solos – 16 alunos em 2014; e.c. – 12 alunos em 2016), Serviço Geológico do Brasil – CPRM (17 alunos em 2015), Embrapa Solos (12 alunos em 2015) e Embrapa Solos – UEP/Recife (18 alunos em 2017).

Neste período, os pesquisadores capacitaram mais de 100 profissionais nos métodos e técnicas de MDS, o que demonstra o interesse pela matéria e o profissionalismo no conteúdo repassado aos alunos. “Creio que assim consolidamos o processo de difusão de conhecimento gerado pela Embrapa e parceiros, que pode inclusive servir de base para as discussões do Programa Nacional de Solos do Brasil (Pronasolos)”, completa Cesar.

Fonte: Cultivar

Esta entrada foi escrita emClipping e tags , ,